Sobe para 34 o número de mortos em consequência do temporal que atingiu, no mês passado, o município de Petrópolis, na região serrana do Rio, com a morte hoje (4) de Rodrigo Oliveira, 21 anos, por parada respiratória. Ele foi resgatado na região do bairro Independência junto com a esposa, Drucilane Alves, 31 anos, que morreu um dia após eles darem entrada no Hospital Santa Teresa, no centro do município, no dia 18 de março.

No dia da tragédia, morreram os dois filhos de Rodrigo, de 2 e 4 anos, e a irmã dele, uma adolescente de 16 anos. Todos dormiam na hora da enxurrada, que arrastou a casa da família, devido a um deslizamento de terra e pedras no alto da encosta.

Leia também:  Mais duas crianças morrem após incêndio e 43 pessoas seguem internadas

Rodrigo teve esmagamento em uma das pernas e passou por quatro cirurgias de reconstrução do membro e estava internado no centro de tratamento intensivo (CTI) da unidade. De acordo com o hospital, até o dia 21 de março o paciente encontrava-se lúcido e estável, quando teve comprometimento das funções renais. Na tarde de ontem (3), ele foi encaminhado para mais uma operação, quando teve uma parada respiratória.

Segundo o hospital, dos 16 pacientes internados na instituição, 11 tiveram alta médica, um foi transferido para outra unidade, foi liberado e está em casa; dois morreram [o casal Rodrigo Oliveira e Drucilane Alves] e dois permanecem internados: Marcelo da Silva Moura, 41 anos de idade, morador do Quitandinha, vítima de polifraturas e está com o quadro médico estável, aguardando uma cirurgia de enxerto ósseo; e Ricardo Correa, integrante da Defesa Civil de Petrópolis, resgatado no Quitandinha e que está internado em estado grave no CTI do hospital, com várias fraturas e quadro de insuficiência respiratória.

Leia também:  PM reage a assalto dentro de ônibus e mata um criminoso e deixa outro gravemente ferido
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.