O prefeito Percival Muniz (PPS) resolveu atender a reivindicação da população e dos vereadores de Rondonópolis e reativar a antiga Secretaria Municipal de Apoio a Segurança Pública (Semasp), só que com um novo nome que será o Gabinete de Apoio a Segurança Pública. O projeto enviado pelo Poder Executivo será votado hoje (17), na Câmara Municipal.

O vereador Adonias Fernandes (PMDB) contou que houve algumas mudanças em relação ao primeiro projeto que foi apresentado pelo comandante Regional do 3º Batalhão de Bombeiros Militar de Rondonópolis, o tenente coronel, Vanderlei Bonoto, e foi colocado em prática durante a gestão do ex-prefeito Ananias Martins (PR). Desde que Percival assumiu a prefeitura que a Semasp estava desativa.

Segundo Adonias com as modificações o órgão deixará de ser uma Secretaria e será apenas um Gabinete que é o modo de gestão adotado pelo atual prefeito. “Em tese são poucas coisas que mudam, mas o sistema dos policiais trabalharem nas folgas e a função serão a mesma que a da Semasp que é na verdade dar apoio ao combate da criminalidade na cidade”, fala. Adonias é a favor da volta desse projeto e sugeriu que o prefeito aproveite a experiência do comandante Bonoto, que esteve à frente da Semasp, e também do comandante da Polícia Militar, Major Sandro que colaborou para a implantação no munícipio.

Leia também:  Vereador apresenta projeto Cidadão da Paz

Ainda em 2012 foi aprovado para o orçamento deste ano uma verba de R$ 1 milhão, através de uma indicação do vereador Adonias para que a Semasp pudesse funcionar. De acordo com o vereador esse montante agora passará a atender ao novo Gabinete.

O vereador Jailton do Pesque Pague (PDT) também deve votar favoravelmente pela reativação, já que esse é um anseio da sociedade. “Hoje o clamor da população é por segurança e se é algo que vai contribuir é preciso que volte mesmo”, diz o parlamentar.

Jailton também destacou que com essa mudança feita por Percival foi reduzido os cargos existentes. Nesse novo projeto terá um gestor de Gabinete, dois assessores, sendo um de Gabinete e outro de Planejamento Operacional, além de que o coordenador da Defesa Civil também passará atuar dentro dessa pasta. Os gastos com esses cargos serão em torno de R$ 15.530 mil.

Leia também:  Presidente da OAB se manifesta sobre advogada que chamou Maggi de "cocaleiro"

O número de viatura também será reduzido de onze para seis.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.