Foto: reprodução
Foto: reprodução

Atriz fala sobre o inédito desafio de interpretar um papel nada sensual, na novela ‘Flor do Caribe’, da TV Globo. E discorre, pela primeira vez, sobre o difícil momento pelo qual passou em 2009: a morte do namorado, o empresário George Mundin, aos 38 anos. Emocionada, a atriz diz que ainda acredita no amor.

Rita Guedes está se colocando à prova. Pela primeira vez, em 20 anos de carreira, ela dá vida a uma personagem que nada tem a ver com os tipos sensuais que já interpretou na TV e dos quais o público está acostumado a lembrar. A sofrida Doralice, da novela Flor do Caribe, é o oposto, por exemplo, da provocante Matilde, de Eterna Magia (2007), ou da atriz pornô Nicole, uma rápida porém marcante participação em Avenida Brasil (2012).

Leia também:  O Rico e Lázaro | Joana aceita o pedido de Zac

Rita passou cinco anos nos Estados Unidos, entre 2007 e 2012, quando estudou inglês e fez cursos de interpretação e roteiro. A temporada em solo americano serviu não só para aperfeiçoar seu currículo como também para curá-la da maior perda de sua vida: a morte, em 2009, do namorado, o empresário George Mundin, de 38 anos, que ela considerava sua alma gêmea. “Minha vida acabou. Acabou meu sonho de casamento, de ser mãe. Achei que não conseguiria dar a volta por cima nem para trabalhar. Mas, graças a Deus, isso tudo passou”, diz. Por causa desse momento difícil, Rita afirma ter aprendido a não colocar a carreira em primeiro lugar e que não mede esforços para correr atrás da felicidade. Longe de aparentar seus 41 anos, é dona de um corpo de formas esculturais. Mas foge dos estereótipos da TV: “Não me acho sensual”.

Leia também:  Resumo de novelas desta terça-feira (20)
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.