Era para ser uma “pelada” com dois tempos de 30 minutos. Mas o Maracanã falou mais alto. Mesmo com apenas 30% da capacidade e só um lado das arquibancadas ocupado, Ronaldo, Bebeto e seus amigos decidiram jogar quase 90 minutos. Afinal, o palco é de final de Copa do Mundo (e de Copa das Confederações), e o evento-teste marcou o primeiro jogo no estádio em dois anos e oito meses. Recheada de estrelas (mas sem Romário, que não apareceu), a partida terminou com vitória de 8 a 5 para a equipe do Fenômeno, que deu de presente à torcida formada por operários e convidados (como a presidente Dilma Rousseff) um golaço com direito a “elástico” – veja o lance no vídeo acima.

Ronaldo, que na carreira profissional disputou três jogos no Maracanã e não marcou gols, deixou sua marca duas vezes. Edílson (2), Giovanni (2), Djalminha e Pedrinho também fizeram para o time de branco, enquanto Washington (2), Roger, Bebeto e seu filho Mattheus balançaram a rede pela equipe amarela. Bebeto quase passou em branco, mas um pênalti no último lance da partida assegurou o gol do quarto maior artilheiro da história do estádio. O primeiro a marcar no novo Maracanã foi o “Coração Valente”, aos 16 do primeiro tempo.

Leia também:  Falso treinador é preso por pedofilia após prometer vaga em time em troca de 'nudes'

O trio de arbitragem foi formado por mulheres: Ana Paula Oliveira, Nadine Bastos e Maíra Labes. Zagallo chegou a ser chamado para treinar o time de Bebeto, mas preferiu apenas assistir ao duelo na área vip. Assim, Jair Pereira comandou os amigos do tetracampeão, enquanto Valdir Espinoza foi o técnico da equipe do penta.

Antes de a bola rolar, um show de luzes encantou o público presente. Houve também a apresentação dos cantores Neguinho da Beija-Flor, Naldo, Martinho da Vila e Preta Gil, com apenas uma música de cada, e do Hino Nacional com Sandra de Sá, Fernanda Abreu, Eduardo Dusek e Ivan Lins.

Com a bola rolando, aos nove minutos, Washington mostrou que estava disposto a roubar a festa: o “Coração Valente” recebeu nas costas da defesa e chutou rente à trave. O gol saiu sete minutos depois: pela direita, Bebeto acertou cruzamento perfeito na cabeça de Washington, que tocou sem defesa para Zetti.

Leia também:  Morre Valdir Peres, o goleiro da Copa de 82

Logo depois, as duas primeiras substituições. O cantor Naldo deu lugar ao pentacampeão Edílson, pelo time de Ronaldo, enquanto o tetra Ricardo Rocha saiu para a entrada de Ibson. Aos 17, o empate da equipe branca: Edílson achou Giovanni na área, o ex-jogador de Santos e Barcelona invadiu e tocou na saída de Carlos Germano.

Os amigos de Ronaldo não precisaram de muito tempo para virar o placar. Aos 19, Renato Gaúcho cruzou da esquerda, o Fenômeno deixou a bola passar, e Djalminha bateu de canhota: 2 a 1. O terceiro do time branco foi novamente de Giovanni, com um chute forte e bonito de fora da área.

Autor do primeiro gol do novo Maracanã, Washington voltou a balançar a rede aos 26, com um toquinho por cima de Zetti. O anfitrião Bebeto arriscou seu tradicional voleio aos 37, mas mandou por cima. O outro anfitrião teve melhor mira: aos 40, Serginho rolou da esquerda da área, Ronaldo pegou de primeira e bateu sem defesa para Carlos Germano.

Leia também:  União vai enfrentar o Dom Bosco na Arena pelo Sub-19

Com a camisa 10 do time amarelo, Roger chutou de fora da área e fez o terceiro para os amigos de Bebeto. Após o término do primeiro tempo, o ex-jogador revelado pelo Fluminense subiu para a cabine do SporTV e passou a comentar a partida na transmissão do canal. Também com microfone, mas no gramado, Ronaldo agradeceu a presença dos operários na festa:
– Vocês foram os heróis na reforma. O Maracanã está lindo, maravilhoso. Obrigado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.