A visita de uma equipe da Polícia Militar às instalações do Estádio Municipal Eurico Gaspar Dutra, no final da manhã de ontem, azedou a relação entre a Prefeitura de Cuiabá e o comando da instituição, e pode respingar no Mixto Esporte Clube. A ação tida como truculenta de um capitão PM, não identificado, é o motivo da indignação dos servidores do município.

De acordo com o professor Claudemir Bernardi, diretor de esportes da Secretaria de Esportes de Cuiabá, teria quebrado com os coturnos, alguns bancos de concreto do Dutra. “Não precisava dessa brutalidade, não entendi nada. Ele quebrou bancos de concreto, com chutes, tentou forçar grades, numa atitude anormal”, denunciou Bernardi, servidor público há décadas e acostumado a trabalhar em grandes eventos esportivos.

Segundo ainda o professor, toda a ação do capitão da Polícia Militar será relatada ao secretário Carlos Brito, e reenviada ao alto comando da PM, exigindo providências sobre os ‘estragos” provocados pelo policial. “Estou fazendo um relatório, inclusive com fotos e encaminhando ainda hoje (ontem) ao secretário para que as devidas providências sejam tomadas”, alertou o professor.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

Bernardi informou que desde que a prefeitura assumiu a gestão do estádio – o que ocorreu com o pagamento de R$ 3,5 milhões à FMF, pelo prefeito Francisco Galindo – em 2012, todas as medidas de segurança tem sido tomadas para atender as legislações, no que diz respeito aos direitos de atletas e torcedores e que diversos reparos ocorreram recentemente, atendendo a ordens dos Bombeiros e da Polícia Militar.

“Dá outra vez que a PM esteve aqui exigiram que a prefeitura arrumasse as grades de proteção, o reboco das arquibancadas, as caixas de energia que tinham com fios expostos; tudo foi arrumado, até um vão de dilatação entre as arquibancadas, o que é normal”, disse Bernardi.

Leia também:  Odil Soares é o mais novo Técnico do Luverdense

A assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que a PM não havia enviado nenhum policial ao Dutra. Segundo ainda a assessoria, o comandante do 1o Batalhão, com sede no bairro do Porto, coronel Ibanez, ‘garantiu que a vistoria ainda não havia sido feita”.

Na semana passada a Prefeitura de Cuiabá teria recebido o laudo do Corpo dos Bombeiros, aprovando a liberação do estádio para a realização da partida entre Mixto e Vitória-BA, marcada para a próxima quarta-feira (10), às 22 horas, válida pela Copa do Brasil. Porém, faltava o alvará da PM. A tal vistoria, que teria ocorrido na manhã de ontem e que a PM nega ter sido feita, é que determinará a necessidade ou não de novas providências pela prefeitura, para salvaguardar os presentes durante os eventos realizados.

Leia também:  Cuiabá vence Luverdense e se classifica para semifinal no sub-17

O presidente do Mixto, Hélio Machado, questionou esta semana a exigência de tais alvarás, apenas para eventos nacionais. “Por que não exigiram para o nosso Campeonato Mato-grossense? Toda semana tem jogo ali e ninguém fala nada. Muito estranho isso”, questionou o presidente, para em seguida emendar. “Não estou dizendo que não concordamos com as vistorias; veja bem: tem que ser feito, é nossa responsabilidade e da prefeitura, como dona do estádio, oferecer segurança aos torcedores, imprensa, atletas, mas não podemos aceitar que todo esse processo seja feito as vésperas da partida. Porque essas vistorias não foram feitas antes? Não podemos correr o risco de ter o estádio interditado e jogar a 400 km de Cuiabá. Isso seria o cúmulo do absurdo”, encerrou o presidente.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.