O Senado do Paraguai marcou para hoje (11) reunião extraordinária para discutir e votar a proposta de retirar Jorge Oviedo (União Nacional dos Colorados Éticos) da presidência da Casa. O senador é acusado de participar de uma operação ilegal de venda de terras. A proposta para tirar Oviedo do comando do Senado conta com o apoio de pelo menos quatro grandes partidos políticos.

Para aprovar a retirada do presidente, são necessários 30 votos favoráveis. O Senado é formado por 45 integrantes. Segundo a imprensa local, há um constrangimento geral envolvendo as denúncias sobre Oviedo.

As denúncias referem-se à venda de cerca de 5 mil hectares de terra. No Paraguai, a questão agrária é tema presente no cenário político. O caso provocou críticas do presidente paraguaio, Federico Franco, e do diretor do Instituto de Desenvolvimento Rural e da Terra, Luis Ortigoza, além de deputados, senadores e líderes de movimentos sociais.

Leia também:  Réus provocam tiroteio dentro de tribunal de Moscou e 4 acusados morrem

Durante as investigações, foram presos suspeitos, inclusive um advogado acusado de sonegar impostos. O fato virou assunto em todas as discussões políticas no país que, em dez dias, terá eleições presidenciais.

Aprovada a saída de Oviedo, deve assumir como presidente do Senado Alfredo Jaeggli (Partido Libertal Radical Autêntico). Ele permanecerá no cargo até o final de junho, quando acaba a atual gestão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.