Centrais sindicais paulistas fizeram hoje (26) um ato no centro da capital pelo fim dos acidentes de trabalho. O protesto teve início por volta das 9h, em frente à sede da Força Sindical, no bairro Liberdade, e terminou às 12h, em frente ao Ministério do Trabalho e Emprego, na Rua Martins Fontes, no centro da cidade. A Polícia Militar estimou em 3 mil o número de participantes.

O ato marca o Dia em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho, celebrado mundialmente em 28 de abril. “Reunimos várias categorias, mas a maioria é formada por trabalhadores da construção civil, que, além de estarem em campanha salarial, enfrentam historicamente essa questão dos acidentes”, explicou João Carlos Gonçalves, secretário-geral da Força Sindical.

Leia também:  Moradores de rua se unem e espancam suspeito de estupro em SP

Também participaram do ato a Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).

O pedreiro Antônio Carlos Carvalho, 40 anos, trabalha há 15 anos na construção civil e acredita que nesse período houve avanços na exigência de equipamentos, mas ainda é comum o descumprimento de normas de segurança, tanto por empresas quanto por funcionários. “Já vi muitos acidentes ocorrerem, mas ainda bem que nenhum com morte. A empresa tem que ficar em cima e o funcionário tem que cumprir. Se não for assim, todo mundo se dá mal”, disse.

Leia também:  SBPC conta com participação de mais de 11 mil pessoas

Para o secretário-geral da UGT, a redução de acidentes passa pela democratização dos ambientes de trabalho, com a formação de comissões internas de Prevenção de Acidentes (Cipa). “Algumas são formadas apenas para constar. É necessário fortalecer esses instrumentos para que o trabalhador se comprometa e diga não às condições insalubres”, avaliou.

Gonçalves esclareceu que o local escolhido para encerrar o ato é simbólico. Para ele, o Ministério do Trabalho deve estar atento às políticas públicas necessárias à diminuição do número de acidentes. Segundo o último levantamento divulgado pelo Ministério da Previdência Social, ocorreram 711 mil acidentes em 2011 no ambiente de trabalho em todo o país. Naquele ano, foram registradas, em média, oito mortes por dia.

Leia também:  Fundador da Uber deixa a presidência da empresa por não suportar pressão de investidores
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.