A final da Superliga Feminina opôs pela nona vez seguida as equipes do Sollys/Nestlé, de Osasco, e a Unilever, do Rio de Janeiro. A decisão deste domingo foi marcada pela espetacular reação da Unilever, que perdia por 2 a 0. O time carioca se reorganizou em quadra, levou a partida para o 5º set e faturou o título por 3 a 2, parciais de 22-25, 19-25,25-20,25-15 e 15-9.

Recheada de atletas da seleção brasileira, a decisão contou com o Ibirapuera lotado. O ginásio ficou dividido de laranja e azul. Os ingressos haviam se esgotados duas semanas antes do jogo.

Com o título, o time comandado por Bernardinho amplia a vantagem no confronto direto com Osasco, com seis conquistas contra três.

O duelo marcou a estreia do “apito eletrônico”, sistema que pode ser solicitado duas vezes por cada time por set. O equipamento foi utilizado pela primeira vez já no set inicial, quando o placar apontava 11 a 6 para o Sollys.

Leia também:  Atleta da Seleção brasileira de Hóquei é assassinado com tiro na nuca em SP

Jaqueline pediu ajuda eletrônica após contestar a arbitragem, que havia assinalado toque na rede e ponto para o time carioca. Depois de rápida análise no vídeo, a arbitragem decidiu voltar a jogada, desconsiderando o ponto. O aplicativo também foi usado no segundo e quarto sets.

À frente durante todo o set inicial, o time de Osasco fez 25 a 22.
Quinta colocada no Miss Mundo Brasil, a jogadora da Unilever Luciane Escouto assistiu à decisão da arquibancada do Ibirapuera. A atleta foi cortada da final para que pudesse participar do concurso de beleza, realizado na noite de sábado, em Mangaratiba/RJ.

O Sollys retornou para o segundo set mantendo boa variação de jogadas ofensivas, explorando os ataques de meio de rede com Thaísa.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

Já o time carioca concentrava as jogadas nas atletas Natália e Pavan, ressentindo de maior produção pelo meio de rede. Essa brecha no meio de rede pesou no segundo set, vencido pelo Osasco por 25 a 19.

A Unilever veio ao terceiro set disposta a mudar o panorama da partida. Pela primeira vez no jogo o time carioca começou à frente no placar. O bloqueio da Unilever passou a funcionar e Fabi se destacou na defesa. O time do Rio fechou o set por 25 a 20.

O quarto set começou com a Unilever abrindo 12 a 3. Com larga vantagem, a equipe carioca fechou em 25 a15, levando a decisão para o tie-break.

No último set, a Unilever abriu vantagem inicial. Estrela do Sollys, Sheilla apareceu pouco, errando saque quando o Sollys perdia por 7 a 6. O time do Rio manteve a vantagem e ficou com o título.

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.