café psic
Participantes do encontro que aconteceu na manhã de hoje – Foto: Cecilia Oadi / assessoria

O evento “Café Psicológico” foi promovido na manhã de hoje (28) pela turma do segundo semestre e pelo Professor e psicólogo Aloísio Vitório e coordenadora do curso Jamille Carvalho. O encontro contou com a participação do público, do corpo docente e discente do curso.

O tema do debate foi ‘O amor’, discutido em suas várias formas existentes e explanado por psicólogos, Mestres e pelo excelentíssimo Juiz da Vara da Mulher Túlio Duailibe. Os palestrantes foram a Mestra em filosofia e educação Professora Lilian Perbone (Ponto de vista social) Mestra e professora Elaine Lopes (Biológico), Maria Auxiliadora de Souza (Espiritual), Psicólogo Alcindo Rosa ( Psicológico),  Teóloga e Pastora Jaqueline Pinto ( Teológico), Túlio Duailibi, juiz da vara da mulher (Ponto de vista social e jurídico).

Leia também:  Ano novo, campinho velho | Moradores do Tancredo Neves reclamam de descaso da Coder

As ministrações aconteceram em um ambiente de descontração, com música, teatro, dança (Grupo Puro Swing) onde os palestrantes foram aplaudidos de pé.

Segundo o juiz Túlio Duailibi, a violência contra a mulher é causada pela falta de amor, e a forma com que essa violência tem crescido é calamitosa, diante dos gráficos apresentados.

A Delegacia da Vara da Mulher tem hoje parceria com o curso de psicologia da Universidade, visando o melhor atendimento e prevenção a mulheres e famílias que foram vítimas de violência. Durante a ministração do juiz um abaixo assinado foi passado para os participantes registrarem seus apoios, ao funcionamento da delegacia 24h e aos domingos e feriados onde o número de casos é maior e por não estar aberta muitas vítimas deixam de registrarem os boletins de ocorrência.

Leia também:  Pátio anuncia “Filas Zero” na saúde em 2018

Anderson de Aquino é acadêmico do curso e pastor e se diz muito feliz pelo objetivo alcançado que é alertar as pessoas acerca da falta de amor que tem cercado o mundo e sendo motivo de muitas tragédias. “Estarmos atentos a essa palavra tão pequena, mas, que é o tronco de tudo na sociedade é o mínimo que podemos fazer, já que nessa manhã todos puderam ver as várias formas com que o amor se apresenta e tem regido o mundo. Seja a sua presença, ou seja, a sua ausência”, fala.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.