Para manter a beleza, vale também comer alimentos saudáveis ao longo da gestação - Foto: Getty Images
Para manter a beleza, vale também comer alimentos saudáveis ao longo da gestação – Foto: Getty Images

 

A gravidez proporciona benefícios à beleza das mulheres, como pele viçosa e seios turbinados. Mas, apesar disso, a futura mamãe precisa aprender a cuidar do corpo e rosto durante a gestação para não sofrer de heranças indesejáveis pós-parto.

1. Rosto com proteção máxima

Os hormônios deixam a pele mais hidratada e viçosa. Você percebe a diferença a partir do quarto mês e talvez até possa comemorar o desaparecimento da acne. “Um estudo com 400 gestantes mostrou que 75% delas tiveram diminuição do problema”, diz a dermatologista Isabel Martinez, da Clínica Martinez, em São Paulo. Se as espinhas não sumirem, limpeza de pele e tratamentos como peeling de cristal estão liberados depois do primeiro trimestre.

O motivo para se preocupar são as manchas. “A produção de melanina fica estimulada e altera a pigmentação da pele, favorecendo o surgimento de sinais amarronzados”, afirma a médica. Capriche no protetor solar com FPS acima de 30 e evite sol. Se elas aparecerem, não fique tensa. Na maioria das vezes, somem cerca de quatro meses após o parto. “Em casos mais graves, o dermatologista pode indicar um creme clareador liberado para gestantes”, garante Leandra Metsavaht, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia, em São Paulo.

2. Seios firmes

Logo no primeiro mês, os seios ficam maiores e, à medida que a gravidez avança, as aréolas escurecem (por causa do aumento de melanina) e se tornam salientes. Aproveite para usar os decotes que sempre quis e incremente sua coleção de lingeries com sutiãs confortáveis e de boa sustentação, com alças e laterais largas. Como a pele da região se distende rapidamente, há risco de as fibras se romperem, causando estrias. Por isso, capriche na hidratação com óleos e cremes à base de elastina e silício, aplicados até duas vezes ao dia. Mas não passe nada nos mamilos nem nos bicos, para não afinar a pele, prejudicando a amamentação depois.

Leia também:  Aprenda dicas rápidas para uma maquiagem perfeita

3. Mãos e unhas a salvo

O eritema palmar (vermelhidão na palma das mãos) é comum a partir do segundo trimestre. Trata-se de um distúrbio vascular causado pela elevação dos hormônios estrogênicos, que desaparece entre seis e sete semanas depois do parto. Outra ameaça para as mãos e unhas são as infecções por fungos, vírus e bactérias, já que a imunidade diminui nessa fase. “Para se prevenir, é preciso secar bem as mãos ao lavá-las, usar luvas nos serviços domésticos e não tirar a cutícula, que é uma proteção natural”, recomenda Leandra. Quanto aos esmaltes, estão liberados. Na hora de retirar, substitua a acetona por removedor hipoalergênico.

4. De pernas para o alto

Elas merecem atenção especial para que você não sofra com inchaço, celulite e varizes. As últimas são o problema mais preocupante e têm como causa dilatação das veias e aumento do sangue em circulação. “O excesso de peso agrava o risco, principalmente para quem tem predisposição genética”, alerta a angiologista Renata Viera de Mello, do Centro Médico Barra Shopping, no Rio de Janeiro.

Leia também:  Conheça as tendências de acessórios que são a aposta do momento | Moda e Beleza

Para se precaver, procure engordar apenas o indicado pelo médico, evite passar muitas horas em pé ou sentada e faça repousos diários com as pernas elevadas. Se o médico recomendar meias elásticas, adote-as. Do segundo trimestre em diante, com autorização do obstetra, as massagens, como drenagem linfática, podem entrar em cena. Elas descansam, diminuem o inchaço, melhoram a circulação e previnem contra celulite. Em casa, a aplicação de cremes e óleos em movimentos ascendentes antes de dormir ativa a circulação e alivia tensões.

5. Mais conforto para os pés

Os pés sofrem com a retenção de líquido desde o início da gravidez, e o inchaço se agrava no terceiro trimestre. Para piorar, o aumento de peso predispõe a fissuras nos calcanhares e a queda de imunidade favorece micoses. Sapatos adequados farão um bem imenso até para o seu humor. “Opte por modelos de bico arredondado, salto de até 3 centímetros, boa forração interna e sem costuras, que causam atritos e a formação de calos”, receita Aparecida Maria Bombonato, coordenadora do curso técnico de podologia do Centro Universitário Senac.

Leia também:  Confira modelos de faixas coloridas para bebês | Moda e Beleza

Dependendo do inchaço, compre sapatos um número maior – é provável que você continue a usá-los ainda nas primeiras semanas após o parto. Evite sandálias, principalmente rasteiras, pois favorecem as rachaduras. Descarte calçados de material sintético, que não permitem boa respiração e propiciam alergias e a proliferação de fungos. Depois do banho, seque bem os pés. Um hidratante mentolado ou óleos de amêndoa e de semente de uva completam os cuidados e combatem as rachaduras. “O inchaço também facilita o encravamento das unhas. Como a barriga atrapalha na hora de cortá-las, vale a pena visitar o podólogo  quinzenalmente”, completa Aparecida.

6. Muito creme na barriga

Orgulhe-se do barrigão e valorize-o com roupas que realçam a silhueta. Afinal, agora ele é o centro das atenções. Mas não relaxe com a hidratação e a nutrição da pele da região, que fica altamente sujeita a estrias, devido ao estiramento excessivo. Apesar de o terceiro trimestre ser o mais crítico, os cuidados devem estar presentes desde o início da gravidez. “Só um aviso: gestantes não podem usar substâncias anti-estrias, como o ácido retinoico, nem hidratantes à base de ureia, que têm ação mais intensiva”, lembra Leandra. Então, lambuze-se desde cedo com os cremes especiais para grávidas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.