Ainda falta mais de um ano para a Copa do Mundo de futebol no Brasil. Mas desde já ela tem refletido em outras modalidades. Quem tem sofrido ultimamente é o técnico Giovane Gávio. Desde que foi demitido do Sesi, o campeão olímpico corre atrás de patrocinadores para montar uma equipe masculina competitiva para a próxima Superliga.

Ele, porém, tem encontrado certa dificuldade. Em algumas das reuniões com empresas para apresentar o projeto, ouviu que o dinheiro já está ‘reservado’ para apoio  à Copa e também à Copa das Confederações, que ocorre no mês que vem.

“É uma realidade, está todo mundo investindo na Copa. As verbas estão mais ou menos alinhadas para esses dois eventos. Faço uma média de quatro ou cinco reuniões por semana. Em algumas ouvi ‘não’ por causa disso, outras disseram que vão pensar. A gente segue na luta, continuo procurando. Mas nós vamos conseguir, acho que é questão de tempo”, afirmou Giovane, ao UOL Esporte.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

A partir do momento em que uma empresa aceitar bancar o projeto, Giovane conversará com clubes e cidades interessadas em ‘abrigar’ a equipe. Barueri, na grande São Paulo, e Pinheiros, são duas das mais fortes possibilidades até o momento.

Para ajudá-lo, Giovane tem um forte aliado: Murilo Endres. Sem clube, já que o Sesi optou por não renovar seu contrato, o ponta, eleito melhor jogador do mundo em 2010, caminha lado a lado com seu ex-técnico.

“Eu e o Murilo com certeza estamos juntos. Fizemos algumas reuniões, estamos juntos atrás de patrocinadores. Ter jogadores de nome no projeto é algo positivo e que ajuda. Mas se eu não conseguir, ele tem de seguir o caminho dele e arrumar uma outra equipe. Não quero atrapalhar em nada neste sentido”, completou Giovane.

Leia também:  Seleção masculina de futsal brasileira disputará amistosos em Mato Grosso

“Futebol no Brasil é uma religião. É complicado você chegar às vésperas de uma Copa das Confederações e pedir dinheiro para o vôlei, atletismo ou ginástica. As empresas estão investindo muito no futebol”, analisou Murilo. ” A gente criou uma amizade muito grande nestes quatro anos de Sesi, ficamos muito próximos, e eu estou ajudando ele a correr atrás de patrocinadores”, completou o jogador.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.