Caminhão da Máxima Ambiental chegando em aterro - Foto: E.T. / Navegador MT
Caminhão da Máxima Ambiental chegando em aterro – Foto: E.T. / Navegador MT

A empresa Máxima Ambiental que estava sendo investigada por suspeita de cometer crime ambiental (leia aqui) teve sua licença de tratamento cassada em 13 de maio. A suspensão foi feita pelo Secretário Adjunto de Qualidade Ambiental (SEMA/MT), Ilson Fernandes Sanches, e publicada em 15 de maio no Diário Oficial (pág. 16).

O secretário adjunto explica no Termo de Suspensão ocorreu tendo em vista que a Máxima Ambiental não apresentou destino adequado para os resíduos tratados pelo processo de autoclavagem no prazo estabelecido. Essa mesma empresa presta serviços em várias cidades de Mato Grosso, incluindo Rondonópolis e Cuiabá.

DENÚNCIA

Nessa semana, o site AGORA MT recebeu denúncias de que a empresa Máxima Ambiental mesmo após a suspensão da licença continua prestando serviços a estabelecimentos particulares como, por exemplo, a clínicas, dentistas e hospitais de Rondonópolis.

Leia também:  Rua Otávio Pitaluga será bloqueada nos dias 27 e 28 para obras

A diretora da Máxima Ambiental, Mirela Macedo, afirmou que após ter a licença cassada, a empresa subcontratou o serviço de tratamento e que por isso continua atuando na cidade. “Até que esse problema seja resolvido à destinação do lixo ficará por conta de uma empresa que possuem todas as licenças para que os nossos clientes não sejam prejudicados”, fala.

A Máxima Ambiental no início do ano havia sido contratada pela Prefeitura de Poxoréu para fazer a coleta do lixo, mas segundo Mirela, a empresa não presta mais serviços à cidade.

Fonte: Diário oficial de MT
Fonte: Diário oficial de MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.