Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Suas visitas ao cabelereiro para tingir os cabelos e cobrir os fios brancos podem estar com os dias contados. Isso porque uma equipe de pesquisadores da Holanda, Alemanha e Reino Unido vem estudando uma forma de reverter o envelhecimento capilar. Segundo a pesquisa, publicada pelo Fabesb Journal (publicação da Federação das Sociedades Americanas para Biologia Experimental) e divulgada pelo jornal Daily Mail, aqueles que ficam grisalhos desenvolvem um “enorme estresse oxidativo epidérmico”, através do acúmulo de peróxido de hidrogênio no folículo piloso, fazendo com que perca sua cor de dentro para fora. E esse processo de branqueamento ou envelhecimento pode ser curado, de acordo com os cientistas.

Leia também:  Aprenda dicas rápidas para uma maquiagem perfeita

O tratamento descrito como tópico utiliza um ativador de luz solar que seria capaz de interromper esse processo. “Por gerações, inúmeras soluções têm sido apresentadas para esconder os cabelos grisalhos. Mas agora, pela primeira vez, um tratamento real está sendo desenvolvido para resolver a raiz do problema”, defendeu o médico Gerald Weissmann, editor chefe do Faseb Journal.

O estudo também mostra que o mesmo funciona para o tratamento de vitiligo, doença que provoca despigmentação de áreas da pele. “Apesar de ser um problema tecnicamente apenas estético, essa condição pode ter graves efeitos sociais e emocionais nas pessoas. Desenvolver um tratamento eficaz para essa doença pode melhorar radicalmente a vida de muitas pessoas”, afirmou Gerald.

Leia também:  Fuja da mesmice e veja como arrasar no arraial | Moda e Beleza

Para o estudo, os pesquisadores acompanharam mais de dois mil pacientes com vitiligo. Após o tratamento, o pigmento da pele e dos cílios dos voluntários voltaram. “Até o momento, está fora de dúvida que a perda repentina hereditária de cor na pele e no cabelo pode afetar um indivíduo de diversas maneiras fundamentais”, garantiu Karin Schallreuter, autora do estudo do Instituto de Distúrbios de Pigmentação da Holanda. A especialista relatou ainda que houve uma melhoria na qualidade de vida dos pacientes após a repigmentação total e até parcial. Apesar dos avanços, ainda não há previsão de quando o tratamento estará disponível.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.