Dificuldades para exportação e a inflação prejudicaram a produção da indústria de alimentos em março, afirmou o gerente da coordenação da indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), André Luiz Macedo.

Dados da pesquisa Produção Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), divulgados nesta semana pelo IBGE, apontaram que a produção de alimentos caiu 2,7% em março na comparação com fevereiro, na série dessazonalizada, enquanto a produção industrial do país cresceu 0,7%. Foi a segunda queda consecutiva do setor alimentício. Em fevereiro e março, a produção de alimentos teve queda de 4%.

“Um conjunto de fatores explica essa queda. Há o recuo das exportações de produtos como soja e açúcar, por exemplo”, disse Macedo. “Há também a inflação que atrapalha o setor”, completou.

Leia também:  Receita paga 4º Lote de restituição nesta sexta-feira

Em março, a produção de alimentos recuou 7,9% ante igual mês de 2012. Nessa base de comparação, a queda atingiu a fabricação de 72% dos itens dessa indústria. Além disso, o fato de março deste ano ter tido dois dias úteis (20) a menos que março do ano passado também influenciou o resultado do segmento, assim como de toda a indústria.

A queda da produção de alimentos em março, quando comparada ao mesmo período em 2012, é um dos fatores que levaram a produção de semi e não duráveis a recuar 8,2% no mesmo período, a maior queda desde janeiro de 2009 (-8,6%).

O IBGE destaca a queda nas produções de açúcar cristal, suco de frutas, margarina, rações e leite pesaram no resultado.

Leia também:  Tempo seco faz disparar venda de umidificadores de ar em Rondonópolis

No acumulado do ano até março, a produção de alimentos caiu 3,1% ao passo que, em 12 meses, o segmento teve recuo de 2,4%.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.