Pacientes só percebem a doença quando começam a perder a visão - Foto: Stock.xchng / Divulgação
Pacientes só percebem a doença quando começam a perder a visão – Foto: Stock.xchng / Divulgação

 

Comemorou-se no último domingo, 26, o Dia de Combate ao Glaucoma, uma doença ocular hereditária, degenerativa, causada pelo aumento da pressão intraocular, que leva à cegueira. O glaucoma não tem sintomas, não provoca dores nos olhos, é silencioso e mais prevalente em negros, devido à predisposição genética. De acordo com o oftalmologista da Santa Casa de São Paulo, Maurício Della Paulera, ele é lento, progressivo e irreversível.

— Nós orientamos as pessoas a passarem por uma consulta anual com o oftalmologista. Nessa consulta está incluída a medida da pressão intraocular e o exame de fundo de olho. Com isso, pode-se prevenir ou iniciar o tratamento precocemente. A campanha é um choque que estamos dando na população para mostrar como é difícil viver sem a visão, quando se pode prevenir uma doença que leva à cegueira.

Leia também:  Exagerar na batata frita eleva o risco de morte prematura

Ele ressaltou que, por não apresentar sintomas, a pessoa só percebe que está com a doença quando começa a perder a visão — surgem “pontos cegos” no campo de visão — momento em que não há nada mais a fazer para reverter a situação. Entretanto, se o oftalmologista perceber sinais do glaucoma durante uma consulta, pedirá exames complementares para se certificar.

— Se o diagnóstico for feito mais cedo, há possibilidade de fazer um tratamento com três fases: primeiro com colírio, depois laser. Se nada disso funcionar parte-se para a cirurgia.

A exceção acontece quando há uma crise de glaucoma agudo.

— Nesses casos a pressão intraocular atinge níveis muito elevados e os principais sintomas são fortes dores de cabeça, enjôo, dor ocular intensa, turvação da visão e vermelhidão ocular — explica Cristiano Caixeta Umbelino, membro da Sociedade Brasileira de Glaucoma.

Leia também:  Fumaça do narguilé prejudica garganta, traqueia e pulmão

Segundo Maurício Paulera, o glaucoma atinge 2% dos brasileiros acima dos 40 anos e 6% acima dos 70 anos. De acordo com as estimativas, pelo menos 1 milhão de brasileiros têm glaucoma.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.