Autoridades do Legislativo e do Judiciário brasileiro se reúnem na próxima semana, na Câmara dos Deputados, para discutir e traçar estratégias na tentativa de combater o aumento no número de casos de assassinatos de mulheres no país.

Segundo dados do Mapa da Violência no Brasil de 2012, entre os anos de 1980 e 2010, mais de 92 mil mulheres foram mortas violentamente, sendo 43,7 mil só na última década.

Organizado pelo presidente da Frente Parlamentar Mista para o Aperfeiçoamento da Justiça Brasileira, deputado federal Wellington Fagundes (PR/MT), em parceria com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o Seminário: Femicídio no Brasil, quer chamar atenção para o crescimento dos casos de homicídio de mulheres por razão de gênero.

Leia também:  Com marcas no corpo, cantor é encontrado morto nos fundos do parque de exposição em Juína

“Hoje, mulheres são mortas por serem mulheres. Esse é o foco desse debate e acho importante que seja na Câmara, que é o lugar do povo”, afirma Fagundes.

Também serão discutidos no seminário, a atuação da polícia neste tipo assassinato e a eficiência da justiça criminal. “O objetivo é fazer com que as ações propostas e apresentadas no evento sejam integradas e articuladas para fazer com que esse fenômeno seja minimizado”, explica o deputado.

Já confirmaram presença no evento o presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, desembargador Dácio Vieira, a representante da ONU no Brasil, Rebeca Tavares, o presidente da AMB, Nelson Calandra e outras autoridades da magistratura brasileira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.