Logo no primeiro dia das Olimpíadas de Londres, a jovem de 22 anos Sarah Menezes faturou a medalha de ouro no judô e conquistou o posto de número 1 do mundo. Mas agora o Brasil tem outro fenômeno com a mesma idade da campeã. Líder do ranking mundial na categoria meio-médio (81 kg), Victor Penalber assumiu a antiga posição de Leandro Guilheiro e agora põe à prova o status de nova sensação do judô nacional.

Neste fim de semana, o lutador carioca se junta a outros 21 brasileiros na disputa do Mundial Masters, em Tyumen (Sibéria) – um dos principais torneios do circuito mundial da modalidade. A exemplo do que acontece no tênis, a competição reúne apenas os primeiros colocados do ranking de cada categoria para definir quem é o melhor. E Penalber é o único brasileiro ao lado de Sarah Menezes que entra na competição como número 1 do mundo.

Leia também:  Eurico Miranda é afastado da presidência do Vasco por ser acusado de apoiar vandalismo de torcida

“Não me sinto pressionado, até porque não conquistei nada ainda. Estou bastante entusiasmado com a competição e me sinto muito bem. Apesar de estar na primeira posição, este será meu primeiro Mundial. Sei que estou sendo estudado pelos adversários, mas treinei pesado já sabendo disso e espero surpreendê-los”, comentou o atleta em entrevista aoUOL Esporte.

Penalber não foi para as Olimpíadas de Londres no ano passado porque outro brasileiro era o melhor do mundo na época: Leandro Guilheiro, que era apontado como favorito à medalha de ouro.

Passada a disputa dos Jogos, Victor Penalber ganhou uma série de medalhas no circuito mundial, que alavancaram sua posição no ranking. A liderança veio após a conquista do Campeonato Pan-Americano, em abril, quando o carioca sagrou-se campeão com direito a uma vitória por ippon sobre o americano Travis Stevens – justamente o algoz de Leandro Guilheiro nas Olimpíadas.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

“Minha relação com o Guilheiro é bem tranquila. Na verdade, temos mais contato nas concentrações, mas não há esse clima de rivalidade que as pessoas imaginam. Até porque o que decide são as competições internacionais. Nossa relação é muito boa”, destacou Penalber, que terá como principal o sul-coreano Jae-Bum Kim como principal rival neste fim de semana.

O Brasil entra no Masters com atletas classificados em todas das categorias – 22 judocas no total. Este é um recorde de participantes da seleção e coloca o país como o líder de classificados entre todas as nações do campeonato na Sibéria.

Outro destaque será a campeã olímpica Sarah Menezes, além dos medalhistas de bronze em Londres Rafael Silva, Mayra Aguiar e Felipe Kitadai. O torneio garante 700 pontos no ranking mundial e mais uma premiação de US$ 6 mil (pouco mais de R$ 12 mil) para o vencedor de cada categoria.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

Confira os brasileiros classificados e suas posições no ranking:

Feminino

Ligeiro: Sarah Menezes (1ª) e Gabriela Chibana (16ª) Meio Leve: Érika Miranda (4ª) e Eleudis Valentim (13ª)
Leve: Rafaela Silva (4ª) e Ketleyn Quadros (13ª) Meio Médio: Katherine Campos (14ª)
Médio: Maria Portela (5ª)
Meio Pesado: Mayra Aguiar (2ª)
Pesado: Maria Suelen Altheman (2ª) e Rochele Nunes (14ª)

Masculino

Ligeiro: Felipe Kitadai (5º) e Diego Santos (16º) Meio Leve: Luiz Revite (12º)
Leve: Bruno Mendonça (10º)
Meio Médio: Victor Penalber (1º)
Médio: Tiago Camilo (7º)
Meio Pesado: Renan Nunes (5º) e Luciano Corrêa (18º)
Pesado: Rafael Silva (2º), Walter Santos (8º) e David Moura (10º)

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.