O curso surgiu da necessidade de melhorar a operacionalidade técnica no trabalho de combate ao crime-Foto:Assessoria
O curso surgiu da necessidade de melhorar a operacionalidade técnica no trabalho de combate ao crime-Foto:Assessoria

Com o propósito de aprimorar a qualidade técnica dos policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), nas ações de combate ao crime de assalto à banco, conhecido como ‘novo cangaço’, a Polícia Militar de Mato Grosso realiza o ‘1º Curso de Patrulhamento em Ambiente Rural, com a participação de 24 policiais. Além deles também participam dois integrantes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul.

O curso surgiu da necessidade de melhorar a operacionalidade técnica no trabalho de combate ao crime que foi chamado de ‘novo cangaço’ e que se caracteriza por assaltos violentos a agências bancárias do interior do Estado, conforme explicou o capitão PM Marcos Eduardo Ticianel Paccola, coordenador da qualificação. O curso tem como frente de trabalho a aplicação de conhecimentos técnicos sobre os ecossistemas de Mato Grosso – cerrado, floresta e pantanal –, técnicas de ações imediatas e inteligência policial.

Leia também:  Alta Floresta | PM aposentado morre após levar aproximadamente sete tiros

Dentre as disciplinas aplicadas estão Combate em Ambiente Rural, Patrulha Rural Motorizada, Google Earth para Operações Policiais, Formações e Progressões, Técnicas de Rastreamento e Contra-rastreamento, Orientação com GPS, Carta Terreno, Busca e Varredura, Contra-emboscada, Técnicas de Tiro Avançadas, Técnicas de Busca. No total serão 150 horas/aula e o encerramento está previsto para o dia 29 de maio. A parte teórica está sendo ministrada na sede do Bope, na Avenida do CPA, em Cuiabá. E a prática no Estande de Tiro da Polícia Rodoviária Federal, na MT-251, km 13.

“Esse curso visa melhorar a qualificação dos integrantes do Bope para as operações em ambientes rurais, ampliar sua capacidade técnica, contribuir para uma padronização das atividades e, consequentemente, melhorar os serviços prestados à sociedade. Além é claro, de reduzir os riscos aos quais os integrantes do Bope se expõem nesse tipo de ação policial”, avalia Paccola.

Leia também:  Dupla acusada de ameaçar prefeito de Jaciara em grupo de whatsApp é presa
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.