O presidente do diretório regional do Democratas, Dilceu Dal Bosco, estará em Cuiabá, na próxima semana, para resolver junto à Justiça Eleitoral, pendências referentes a gestões anteriores, que tiveram as contas rejeitadas. Com as contas reprovadas, o partido deixa de receber repasses do fundo partidário. “A Justiça Eleitoral suspendeu o repasse do fundo partidário pelo período de seis meses”.

Conforme o presidente, o valor mensal recebido pelo DEM de Mato Grosso varia entre R$ 6 mil a R$ 8 mil. “É um valor irrisório que não mantêm nem o diretório estadual. Tivemos uma baixa pela redução dos deputados federais do DEM, que é base para o cálculo dos repasses”.

Contudo, o partido deve resolver outra pendência com a Justiça Eleitoral referente a prestação de contas das eleições de 2012. O relatório preliminar da Controladoria de Controle Interno e Auditoria (CCIA) do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pede pela desaprovação das contas do DEM, sendo que o partido foi intimado e não respondeu.

Leia também:  Fabris se apresenta e nega ter cometido crime

Com isto, a CCIA deve enviar relatório conclusivo, pela desaprovação ou aprovação com ressalvas, sendo que o DEM terá 72 horas para se manifestar acerca do parecer. Dal Bosco explica que irá se situar sobre a questão das contas das eleições, já que, cada diretório municipal é responsável por prestar as informações à Justiça Eleitoral. “Cada diretório municipal faz a sua própria prestação de contas, e alguns municípios como Sinop, já o fizeram”.

Caso não responda a intimação judicial, e as contas forem desaprovadas, o DEM corre o risco de permanecer um período maior com os repasses do fundo partidário suspensos.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.