A produção da indústria brasileira aumentou 0,7% em março deste ano, em relação a fevereiro (-2,4%). No primeiro trimestre, entretanto, o setor registrou queda de 0,5% na comparação com o mesmo período de 2012. Os dados foram divulgados hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A indústria apresentou recuo de 2% na taxa que verifica a atividade nos últimos 12 meses e não apresentou recuperação diante das taxas de -2% de janeiro e de -1,9% de fevereiro. Já na comparação entre março de 2013 e o mesmo mês de 2012, a produção caiu 3,3%.

De acordo com o IBGE, dos 27 setores pesquisados, 13 tiveram aumento de produção, com destaque para veículos automotores, que cresceu 5,1% em março – diminuindo o impacto da queda de 8,1% de fevereiro. Também se recuperam o setor de refino de petróleo e produção de álcool (3,3%), máquinas para escritório e equipamentos de informática (11,9%).

Leia também:  Indústria cresce 5,3% em outubro, maior taxa desde abril de 2013

Por outro lado, entre os ramos com despenho negativo, destaque para o setor de alimentos, com queda de 2,7% – o segundo resultado negativo consecutivo. Também registraram queda em março os setores de equipamentos de transporte (-5%), produtos de metal (-4,4%), diversos (-7,3%), além de outros produtos químicos (-1%).

Entre as categorias de uso, na comparação com fevereiro, bens de consumo duráveis cresceu 4,7%, bens intermediários aumentou 0,8% e bens de capital teve ganho de 0,7%.

Já na comparação com março de 2012, três das quatro categorias de uso e 21 dos 27 setores industriais pesquisados tiveram resultados negativos, com destaque para alimentos (-7,9%), famacêutica (-17,3%) e extrativas (-7,1%) e metalurgia (-7,3%). O IBGE lembra que também pesou no resultado os dois dias úteis a menos em março de 2013 – na comparação com 2012.

Leia também:  Novo Fies | Entenda as regras sancionada por Temer
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.