Em continuação as investigações da operação “Sem Teto” a Polícia Judiciária Civil descobriu que os integrantes da quadrilha chegavam a ameaçar as famílias que haviam comprado um lote parcelado e não conseguiam pagar. Na casa do advogado Ângelo Bernardino de Mendonça conhecido como ‘Junião’ foram encontradas duas armas de fogo e cinco munições.

De acordo com o delegado titular da DERF, Claudinei Lopes, a quadrilha vem sendo investigada a mais de um ano  e derem o golpe em mais de 400 famílias que estavam assentadas no loteamento Ananias Filho.

O advogado preso fingia ser o dono da propriedade e chegou a abrir uma empresa para emitir os boletos bancários, porém o verdadeiro dono das terras, que também é um advogado, entrou na justiça com um pedido de reintegração de posse. Foi aí que os assentados começaram a suspeitar que estavam sendo enganadas e registraram Boletins de Ocorrências.

Leia também:  Quadrilha é presa após invadir hotel de luxo em Cuiabá e furtar 6 caminhonetes de hóspedes

A partir da investigação a polícia descobriu que os suspeitos vendiam os lotes por R$9.500, sendo que a entrada no valor de R$500 foi dada no dia da primeira reunião e o restante parcelado em 36 vezes de R$250.

O advogado Ângelo Bernardino de Mendonça, 33, o engenheiro agrônomo, Adalberto Inocêncio, 35 que recebia pela demarcação dos lotes, Wagner Santos, 33, e Daniel Fernandes dos Reis, 43, conhecido como “Jacaré” que cobrava uma taxa de água estão presos. Um dos integrantes conhecido como Wendel de Souza Girotto está foragido.

Eles serão autuados por estelionato, formação de quadrilha, falsidade ideológica e ameaça. Junião será autuado individualmente por posse ilegal de arma de fogo.

Leia também:  Ossada humana é encontrada no Anel Viário em Rondonópolis

Três dos suspeitos já apresentavam histórico criminal. O advogado por uso da OAB falsa em 2008, exercício irregular da profissão, manter casa de prostituição e ainda responde um processo na delegacia de defesa da mulher. Jacaré responde por dano qualificado. E Wendel por crime ambiental, extorsão e apropriação indébita.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.