Rondonópolis será representada por 20 delegados.  Fotos: Cecilia Oadi/Assessoria
Rondonópolis será representada por 20 delegados. Fotos: Cecilia Oadi/Assessoria

Vários artistas da cidade e membros do conselho de cultura de Rondonópolis se reuniram na noite desta segunda-feira (20), no Centro Cultural José Sobrinho, para a eleição dos delegados que representarão o município no próximo dia 01 de junho em Cuiabá na formação da nova gestão do Conselho Estadual de Cultura.

Rondonópolis será representada por 20 delegados que por meio de votação os presentes na reunião elegeram Max Ferraz, atual Presidente do conselho de Cultura, a candidato para conselheiro Estadual.

Além da eleição, vários assuntos foram abordados pelos artistas presentes e pelos componentes do conselho, como: as dificuldades e a burocracia enfrentadas nas elaborações e aprovações dos projetos, a falta de recursos financeiros e a própria ausência no apoio da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Cultura da cidade. Desde o início do ano a classe aguarda a reunião com o prefeito Percival Muniz, cuja solicitação foi protocolada e até o momento ainda não aconteceu. Segundo José Roberto, Técnico em Cultura, muitas mudanças favoráveis à classe seriam possíveis se ambos trabalhassem juntos e ressalta ainda que é necessário, maior interesse dos artistas, na busca por qualificação e elaboração dos seus projetos.

Leia também:  Natal eleva expectativa em 20% nas vendas em Rondonópolis

Segundo Max Ferraz, a maior força tem que vir dos próprios artistas, que precisam se empenhar e participar mais. Observação feita pelo presidente do conselho, que citou os trabalhos realizados juntos ao SESC na semana que passou, onde palestras e oficinas foram ministradas com o intuito de levarem os nossos artistas a saírem da informalidade e se prepararem mais para o crescimento profissional e pessoal, itens que conduzem a eternização de um artista e de uma cultura. O presidente afirmou que a cultura em Rondonópolis tem que acompanhar o crescimento sócio e econômico da cidade que tem sido referência para o Estado e nosso país. “Nós lutamos de uma forma árdua e incansável, mas para vencermos a guerra é necessário que sejamos um exército unido”.

Leia também:  MP investiga causas de incêndio que destruiu 60% da aldeia Tadarimana
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.