O Santos conquistou a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil ao empatar sem gols com o Joinville nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Desta forma, o gol do zagueiro Durval, de cabeça, no primeiro jogo em Santa Catarina, foi o responsável por salvar a equipe santista de um vexame.

O resultado também colabora para o jejum de gols do atacante Neymar na temporada. O atleta completou sete jogos sem balançar as redes, mais precisamente 662 minutos.

O último gol de Neymar ocorreu na vitória sobre o Flamengo-PI por 2 a 0, no dia 17 de abril, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil. Depois disso, o atacante “passou em branco” nas partidas contra Penapolense, Palmeiras, Mogi Mirim e nos dois jogos contra Corinthians e Joinville.

O mau futebol apresentado pelo Santos no primeiro jogo após perder a decisão do Campeonato Paulista, diante do Corinthians, provocou as vaias da torcida, na saída de campo do time no intervalo e no final da partida.

Leia também:  Diretoria do União deve apresentar equipe dia 14

Neymar só arrancou vibrações da torcida em uma jogada individual no início do segundo tempo. O astro santista aplicou três “dribles secos” em dois marcados, mas encerrou o lance com um passe errado. O atacante teve mais uma atuação apagada e foi anulado pela marcação dupla defesa do Joinville, feita por Rafael e Carlos Alberto.

A equipe santista volta a campo no próximo domingo, contra o Flamengo, no estado Mané Garrincha, na estreia do time no Campeonato Brasileiro deste ano. Já o Joinville encara o Bragantino no próximo sábado, em jogo válido pela primeira rodada do Brasileirão da Série B.

O fato do goleiro Ivan, do Joinville, não ter feito nenhuma defesa sequer no primeiro tempo expõe o mau futebol apresentado pelo Santos na Vila Belmiro. A equipe santista repetiu os mesmos defeitos apresentados na fase mata-mata do Campeonato Paulista, e voltou a depender das “bolas paradas” para assustar o adversário.

Leia também:  Federação e clubes definem detalhes da Copa FMF

O técnico Muricy Ramalho apostou no mesmo esquema tático utilizado na final do Campeonato Paulista, diante do Corinthians, no último domingo, na Vila Belmiro. O time atuou com três atacantes: Neymar e Felipe Anderson pelas pontas, e o estreante Henrique mais centralizado dentro da área.

Entretanto, a equipe santista, que não conta com Montillo, lesionado, voltou a sentir a falta de um armador de jogadas. Isso porque o trio de volantes, formado por Renê Júnior, Arouca e Cícero, jogou muito distante dos atacantes e não conseguia fazer a ligação entre defesa e ataque.

Se não bastasse, Neymar foi bem marcado pelo ala direito Carlos Alberto, e o zagueiro Rafael, que fez uma boa cobertura e se destacou nos duelos individuais com o craque santista. Desta forma, o Santos terminou a primeira etapa com apenas um chute a gol. O volante Renê Júnior arriscou de fora da área, mas sem direção.

Leia também:  Luverdense perde do Inter com gol polêmico no final

O lance mais perigoso do primeiro tempo foi do Joinville. O uruguaio Ligüera invadiu a área aos 18 minutos, chutou forte de perna esquerda e obrigou o goleiro Rafael a fazer uma grande defesa no ângulo direito.

No segundo tempo, o Santos continuou sem pressionar o Joinville. A única jogada de perigo ocorreu aos quatro minutos. Após cobrança de escanteio de Felipe Anderson, a bola sobrou para Cícero, que tocou para Edu Dracena. O zagueiro desviou com o bico da chuteira, mas a bola acertou a rede do lado de fora.

Neymar arriscou um chute de fora da área no final da partida, mas sem muita facilitou a defesa do goleiro Ivan. O zagueiro Sandro ainda perdeu a última chance do Joinville de levar a decisão para os pênaltis ao cabecear para fora, sem marcação, após cobrança de escanteio.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.