Falta apenas uma vaga na semifinal da segunda edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil. O episódio do último domingo foi marcado pela realização de duas disputas de quartas de final do programa e cada uma das equipes colocou um representante na disputa por uma vaga na final.

O primeiro a se garantir na semi foi o carioca Léo Santos. Apostando em sua base no jiu-jítsu – é campeão mundial faixa-preta – ele surpreendeu Thiago Marreta apostando na trocação no começo. Com bons cruzados e até chutes altos, Léo acuou Thiago e conseguiu o momento perfeito para encurtar a distância e levar a luta para o chão, seu habitat natural.

Na luta de solo, Santos deu um verdadeiro passeio. Grudou em marreta, passou a guarda como quis e bateu muito no ground and pound. Até mesmo abriu um grande corte na testa do rival. Essa foi a toada dos dois rounds de luta e os juízes deram a vitória fácil de Léo, por pontos, em decisão unânime.

Leia também:  Aberta as inscrições do Bolsa Atleta pelo Ministério do Esporte

Agora, Léo Santos se junta a William Patolino como segundo integrante do time de Rodrigo Minotauro na semifinal – um terceiro se juntará a eles, já que a última luta de quartas de final será entre Santiago Ponzinnibio e Cleiton Foquete, ambos comandados por Nogueira.

O segundo combate da noite foi menos movimentado, com receio dos dois lutadores. Mesmo assim, o paulista Viscardi Andrade não teve problemas para vencer David Vieira por pontos, se tornando o primeiro representante da equipe de Fabrício Werdum na semifinal do reality.

A luta foi marcada pelos dois lutadores buscando apenas e somente sua zona de conforto, Viscardi a trocação e David o jogo de chão. Como Andrade conseguiu impor um pouco mais seus golpes e derrubou pelo menos três vezes Vieira – que fugiu o tempo todo da luta – acabou ficando com a vitória.

Leia também:  Em competição em Cuiabá, estudantes de Rondonópolis se classificam para Jogos Brasileiros

Tensão no time Werdum

Mas o programa não foi marcado apenas por essas duas lutas. Eliminado na primeira rodada, Juliano Ninja se rebelou contra o comando de Fabrício Werdum e deixou a equipe. O lutador disse que o peso pesado não tem qualquer tipo de comando sobre o time e pensa apenas em zoar – uma das marcas dessa edição.

“Não é todo mundo que nasceu para ser líder. Queria ver se fosse ele que tivesse que lutar e alguém ficasse soltando bomba. Meu amigo, ninguém aqui é boneco. Tem que ter respeito com quem está indo lutar. O Werdum tem 150kg de bunda, uma bunda gorda desse tamanho, e não faz nada. Um baita de um bunda mole, bicho, não serve para nada!”, rebelou.

Leia também:  Atleta da Seleção brasileira de Hóquei é assassinado com tiro na nuca em SP

Depois de bater boca com o treinador, Ninja deixou o time, mas não ficou claro se ele foi para a equipe de Minotauro, se foi aceito por lá. Ele passou a ficar sozinho e com a camiseta escrita “Time Ninja”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.