Quarto colocado e melhor brasileiro do grid da São Paulo Indy 300 mesmo correndo com luxações em três ligamentos da mão direita, Tony Kanaan revelou, após o treino de classificação, que precisará de uma injeção de analgésico para aguentar a dor no domingo. A prova começará às 12h30 e terá duração de aproximadamente três horas.

O piloto baiano revelou que todos os recursos utilizados para tentar amenizar a dor no manuseio do volante falharam. Agora, só resta mesmo a injeção. Segundo ele, o efeito do analgésico dura justamente três horas. “Se a corrida demorar mais do quer isso para acabar, teremos problemas”, observou.

“Preocupado eu ainda estou. Achei que iria sentir menos dor hoje. Acabei de voltar do centro médico e tomei uma injeção milagrosa. Amanhã, vou repetir essa injeção para poder aguentar a corrida. Agora é tentar descansar, eles querem que eu durma com a mão para cima, não sei como vou fazer, mas vamos tentar”, continuou o piloto, que compareceu à coletiva com uma proteção na mão e com o bom humor de sempre.

Leia também:  De virada inédita, Cuiabá Arsenal vence Tubarões do Cerrado

Kanaan chegou a dizer que não sabia se conseguiria disputar a prova, mas topou o sacrifício. O sonho é atingir uma marca histórica na categoria, diante de sua torcida. Quando ele largar no domingo, completará 200 corridas consecutivas na Fórmula Indy.

Durante os treinos livres do sábado, ele já havia demonstrado que a dor na mão não iria atrapalhar. Foi para a classificação com o objetivo de chegar entre os seis primeiros e disputar a pole. Conseguiu ficando em quarto, melhor posição entre os brasileiros. Helio Castroneves sairá em 18º, após errar a estratégia. Bia Figueiredo será a 16ª do grid.

Para conseguir manter o nível de competitividade durante o final de semana, Kanaan tentou outros recursos além das injeções, como enfaixar a mão e usar um molde especial no volante. Nenhum deles deu certo.

Leia também:  Torneio de tênis começa nesta quarta em Cuiabá

“O molde da minha mão eu quase joguei no Tietê, porque estava doendo ainda mais com aquilo. E o do volante não ficou pronto, e agora não adianta mais, não vou arriscar colocar um molde diferente do volante. Nada do que a gente tentou funcionou. Vamos só de injeção mesmo”, concluiu o brasileiro após fazer o melhor treino de classificação de todas as suas participações no Anhembi.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.