Maria Celma afirma que se não houver um retrocesso na Emenda Constitucional a categoria irá entrar em greve ainda no início do próximo semestre. Foto. Jeyson Nascimento/AGORA MT
Maria Celma afirma que se não houver um retrocesso na Emenda Constitucional a categoria irá entrar em greve ainda no início do próximo semestre. Foto. Jeyson Nascimento/AGORA MT

O quadrilátero central de Rondonópolis foi ocupado, na manhã desta sexta-feira (28), por estudantes e professores da rede estadual de ensino na passeata organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) subsede de Rondonópolis.

A presidente local do Sintep, Maria Celma de Oliveira, relata que o principal objetivo do manifesto é em razão da Emenda Constitucional nº 66/2013, publicada no dia nove de maio, onde o governador Silval Barbosa reduz de 35% para 25% o valor para investimentos em educação. “É contraditório, enquanto o Governo Federal procura ampliar os recursos destinados para a Educação e Saúde em Mato Grosso os repasses são diminuídos. A educação já está precária e com essa decisão como se pode oferecer uma educação de qualidade”, frisou a sindicalista.

Leia também:  Rondonópolis se destaca em Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu e ganha 25 das 40 medalhas

Na oportunidade também foi reforçada a cobrança pela implantação imediata do piso de R$ 1.937,26, e também uma atenção maior quanto a reformas realizadas nas escolas que são de péssima qualidade, quando não estão inacabadas e precisando de nova reforma.

Maria Celma afirma que foi solicitado o agendamento de uma audiência com o Governador e o secretariado, contudo se não houver um retrocesso na redução do percentual de aplicação em investimentos a categoria irá entrar em greve ainda no início do próximo semestre.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.