O prédio está com várias infiltrações, não tem lugar nem estantes suficientes para colocar as pastas de arquivos.
O prédio está com várias infiltrações, não tem lugar nem estantes suficientes para colocar as pastas de arquivos.Varlei Cordova/AGORAMT
Problemas na rede elétrica, aparelhos de ar condicionado com defeito, cadeiras e mesas quebradas deixando de pé a população quando procura atendimento, essas são apenas algumas das dificuldades enfrentadas pela população e pelos servidores da 2ª Ciretran e a 87ª Agencia Vip de Rondonópolis.

“Nós protocolamos um pedido de providências no Detran-MT para que o presidente da Entidade tome conhecimento do que está se passando no município de Rondonópolis. As unidades do Detran estão sem condições de funcionar lá”, afirmou Veneranda Acosta, presidente do Sindicato dos Servidores do Detran-MT (Sinetran-MT).

Ela relata que as unidades estão enfrentando graves problemas e que os servidores pretendem paralisar o atendimento nesta quinta-feira (13) até que o Detran-MT dê condições de trabalho para os servidores atenderem a população.

Leia também:  Aumentam boletins de ocorrência motivados por homofobia em Mato Grosso

Na Agencia Vip, o espaço destinado ao atendimento é pequeno e ainda é dividido entre o posto de arrecadação e a empresa que digitaliza as imagens dos processos de habilitação, o que acaba acumulando um grande número de pessoas. As janelas estão com persianas destruídas pela ação do tempo, deixando o sol adentrar o local o que contribui para a não refrigeração do ambiente.

O prédio está com várias infiltrações, não tem lugar nem estantes suficientes para colocar as pastas de arquivos. Os servidores têm que se revezar para usar os poucos computadores que a agência tem e que são muito antigos e lentos. Não há material básico de escritório para fazer o serviço. Falta desde capa de processo, até caneta esferográfica e bobinas para a máquina de senha.

Leia também:  Mais de 40 acidentes são registrados durante feriado prolongado nas rodovias de MT

Na 2ª Ciretran a situação também é precária. Não tem acessibilidade para pessoas com necessidades especiais. Os computadores estão com oito anos de uso e são poucos. A máquina de senha está quebrada então o servidor tem que chamar o usuário e como vários serviços são oferecidos, a situação fica mais complicada confundindo a população. No setor de vistoria falta cadeira para os usuários que às vezes ficam no sol, já que a parte coberta é reduzida. Sem falar na falta do lápis para realizar o decalque, thinner e equipamentos de proteção individual.

“Se não bastasse tudo isso, o servidor tem ainda que justificar a lentidão no sistema do Detrannet, isso quando ele não está inoperante de vez, fazendo a população esperar horas ou então ter que voltar outro dia. “O governo do Estado tem que zelar pelo Detran-MT, mesmo porque ele presta um serviço essencial à população e além disso, é a segunda arrecadação de Mato Grosso. Se o Detran arrecada um milhão e duzentos mil reais por dia devido as suas altas taxas, ao menos parte desse dinheiro tem que ser aplicado na manutenção da Entidade, para os usuários serem atendidos confortavelmente e de forma rápida”, comenta Veneranda.

Leia também:  Termina período proibitivo para queimadas em Mato Grosso
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.