O acúmulo localizado da gordura corporal está relacionado, principalmente, a fatores genéticos. Cada indivíduo nasce com maior ou menor número de células de gordura em determinadas regiões, como abdome, costas, quadris (culotes), flancos (popularmente conhecidos como pneus), região submentoniana (papinho), coxas e joelhos.

Alguns fatores podem contribuir com o aumento de gordura localizada nessas regiões, como o ganho de peso. Se uma pessoa com acúmulo de células de gordura nos flancos vier a ganhar peso, certamente o pneuzinho ficará maior. Além desse fator, há a influência dos hormônios na distribuição da gordura. A testosterona, principal hormônio masculino, facilita o depósito de gordura no abdome, enquanto o estradiol, principal hormônio feminino, tem o mesmo efeito no quadril e nas coxas.

Leia também:  Tilápia, o peixe que dominou o Brasil

O problema é que, se alguém já tem acúmulo de células de gordura, a diminuição de peso provocará redução, mas não acabará com elas. Mesmo que a pessoa esteja magra – quem tem as tais gordurinhas localizadas sabe muito bem que elas insistem em permanecer mesmo com alimentação saudável e atividades físicas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.