Getty Images
Getty Images

 

Refeição Completa

Muita gente ainda nem ouviu falar dela, mas a quinoa, que não faz muito tempo desembarcou no Brasil, vem aos poucos conquistando mais espaço em restaurantes e lojas de produtos naturais. E quem ganha com isso, claro, é o consumidor.

“Apreciada e até venerada pelos povos dos Andes, ela é uma refeição”, compara o cientista de alimentos Jaime Amaya Farfan, de Campinas (SP). “A quinoa é muito completa em relação às quantidades de calorias, proteínas, gorduras e carboidratos”, justifica.

 

Espinafre em grãos

Experimentos com aves mostram que o pseudocereal – sim, do ponto de vista da botânica, apesar de parecida com os grãos integrais, é isso o que a quinoa é – carrega substâncias capazes de melhorar o transporte de oxigênio pelas células do sangue. Isso, inclusive, justifica em parte a sobrevivência dos antigos exércitos andinos ao chamado “mal da altitude”, ou seja, jornadas de trabalho hercúleas sob as dificuldades do ar rarefeito.

Ah, sim: a quinoa também é apelidada de espinafre com grãos. “Isso por causa da proximidade entre as duas plantas”, explica o agrônomo Walter Quadros, de Cerrados, no Distrito Federal.

Leia também:  Dieta cetogênica: razão ou crença?

 

Alimentos dos Incas

Estudiosos presumem que a quinoa já era cultivada ao redor do Lago Titicaca, na fronteira entre Peru e Bolívia, há mais de 5 mil anos. Essa região teria sido o berço da civilização inca. “É provável que as populações dos vales andinos tenham levado o grão para outras áreas do altiplano boliviano”, conta o agrônomo Carlos Spehar, de Brasília (DF).

 

Faz bem para a memória

Essa sementinha deixa a memória afiada! É que ela contém aminoácidos relacionados ao desenvolvimento da inteligência, à rapidez de reflexos e à facilidade de aprendizagem.

 

Combate a anemia e a osteoporose

Outra faceta da quinoa de dar inveja a qualquer cereal genuíno é a concentração de zinco, cálcio e ferro — esse último, suficiente para convencer os especialistas de que a quinoa seria uma solução para casos de anemia. Sem falar nos indícios de que seus fitoestrógenos, que cumprem o papel de hormônios no organismo, ajudariam a afastar a osteoporose nas mulheres depois da menopausa.

Leia também:  Pular o café da manhã entope os vasos e afeta o coração

 

Faz bem para o coração

Pesquisas recentes apontam que as fibras e a saponina, substância detergente que recobre a quinoa, poderiam reduzir os níveis de colesterol produzido pelo fígado, evitando problemas cardiovasculares.

Incluí-la no cardápio seria também uma maneira de combater a obesidade. “Ainda faltam estudos que esclareçam todos os seus benefícios para a saúde”, pondera Farfan. Um sinal de que não são poucos.

 

Ajuda a perder peso

Uma porção de 100 g de quinoa contém 374 calorias. Parece muito, né? Mas, apesar de calórica, a quinoa ajuda a perder peso. É que ela possui muitas fibras, o que aumenta a sensação de saciedade durante as refeições, melhora o funcionamento intestinal e reduz a absorção de lipídeos. ”

Além de ter proteínas e carboidratos de baixo índice glicêmico (que demoram mais para ser digeridos), o cereal é ótima fonte de vitamina D (ajuda na absorção de cálcio), vitamina E (antioxidante) e vitaminas do complexo B (bom para o metabolismo celular), e de minerais, como ferro, magnésio, zinco e potássio”, afirma a nutróloga Cristiane Coelho.

Leia também:  Saúde | Conheça os sintomas e precauções contra a artrite

 

Em grãos, em flocos ou farinha

Você encontra a quinoa nas três formas:

Grãos: no Brasil circulam aqueles de coloração amarelada. Mas existem variações de tons vermelho, cinza e preto. Vão bem em saladas, como o tabule, servido com legumes e funcionam como substituto do arroz em diversos pratos. Cozinhe em fogo baixo, seguindo a proporção de 2 e 1/2 xícaras (chá) de água para 1 de quinoa.

Flocos: combinam mais com o café da manhã. A sugestão é salpicar nas frutas, bater com leite ou iogurte. Outra forma de consumo que lembra os flocos é o grão expandido — submetido ao calor e à pressão, ele vira uma espécie de pipoca, usada para fazer barras de cereais.

Farinha: ela pode entrar na lista de ingredientes de pães, massas, bolos e tortas. Mas cuidado com os excessos: seu sabor residual costuma ser forte. Utilize 20% do farináceo da receita original e apenas complete com a farinha de quinoa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.