“Diariamente recebemos denuncias de maus tratos ou agressões a crianças e adolescentes” afirma a conselheira tutelar da 1ª região de Rondonópolis, Ione Rodrigues, e observa que a cada 10 crianças acolhidas pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescentes (CMDCA), cerca de sete não voltam para casa.

Ione estima que somente o conselho da 1ª região tenha atendido este ano pelo menos 45 casos de agressões comprovadas a crianças e adolescentes, fora as outras ocorrências, como abuso sexual e conflitos familiares. E também sem levar em consideração os registros da 2ª região.

A conselheira afirma que este índice é muito alto para o município e observa que na maioria dos casos em que é constatada a agressão e a criança é retirada de casa, os menores não retornam para a família em razão da gravidade do caso, conforme um entendimento judicial.

Leia também:  Metello vai à Câmara e nega irregularidades em contrato

“Priorizamos que as crianças permaneçam com os pais, contudo no município de 10 menores que são atendidos por agressão em média sete são encaminhadas para outros lares em recorrência da violência sofrida. É um número muito alto e precisa ser revertido”, afirma Ione.

Ione relata que a maioria das ocorrências registradas no conselho são provenientes de conflito familiares, onde as crianças são afetadas em meio a separação dos pais.

Para reverter esses quadros o CMDCA procura realizar palestras de conscientização sobre a não violência e os direitos das crianças, além de defender a importância das denuncias de agressão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.