Reconhecido atualmente apenas como unidade de reabilitação, o Nilmo Júnior deve passar, com a nova estrutura inaugurada nesta segunda-feira (3), a ser um Centro Especializado de Reabilitação – CER.

A coordenadora do centro, Darla Piato, explica que com esta nomenclatura o Ministério da Saúde aumenta os repasses à unidade e permite que a estrutura seja efetivamente reconhecida como regional.

“Já fazemos atendimentos de pessoas vindas dos 18 municípios da região sul. Mas passando a Centro Especializado, o Nilmo Júnior receberá R$ 148 mil mensais do Ministério e poderemos então fazer as pactuações”, detalha a coordenadora.

A unidade, que agora fica no bairro Novo Horizonte, passou de 10 para 15 salas na nova estrutura, localizada no fim da Avenida José Pinto, às margens da BR 364, onde funcionava a sede da Sementes Mônica.

Leia também:  Conferência de Avaliação do Plano Estadual de Educação define metas para os próximos dez anos

Além da melhora em espaço, Darla comenta que o processo de evolução também exigiu uma expansão do corpo de profissionais. “Temos agora dois médicos, sendo um ortopedista e outro neurologista. Contamos ainda com quatro psicólogos, dois terapeutas, quatro fonoaudiólogos, oito fisioterapeutas, um assistente social, dois enfermeiros e dois técnicos de enfermagem”, ressaltou, lembrando que a unidade não contava com médicos e psicólogos.

Darla afirma que na nova sede o Nilmo Júnior está apto a realizar 150 atendimentos via SUS por dia, em funcionamento das 6 às 18 horas. O centro conta com um grande número de pacientes infantis, diagnosticados com problemas neurológicos e outras dificuldades. Além deles, vítimas de acidentes vasculares cerebrais – AVC e infartos também formam outro grande público da unidade.

Leia também:  Alunos de escola pública visitam aldeia indígena como presente de Dia das Crianças
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.