Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam que nos cinco primeiros meses deste ano já foram registraram 2.336 casos de queimadas em Mato Grosso. Os municípios de Nova Ubiratã, Nova Maringá, Feliz Natal, Brasnorte e Querência lideram o ranking das ocorrências. A situação foi alertada durante o lançamento da Campanha de Prevenção e Combate às Queimadas e Incêndios Florestais 2013, realizado na Associação Mato-grossense dos Municípios –(AMM), em Cuiabá.

A Campanha é realizada pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e conta com a parceria do Ministério Público Estadual, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA), Prefeitura Municipal de Cuiabá, dentre outros órgãos. Os trabalhos de combate às queimadas no Estado tiveram início em janeiro e vai até o dia 15 de julho. A partir dessa data, iniciam as proibições na zona rural até 15 de setembro, de acordo com o Comitê Estadual de Gestão do Fogo.

Leia também:  Captação de leite registra queda de 10,3% em MT

O procurador-geral de Justiça, Paulo Roberto Jorge do Prado, declarou a preocupação com os dados divulgados pela Sema, de que as cabeceiras do Rio Cuiabá, uma área de preservação ambiental, registrou de janeiro até agora, nove dos 14 focos capturados pelos satélites em Unidades de Conservação. Ainda de acordo com o procurador-geral de Justiça, Mato Grosso disputa nacionalmente o ranking dos maiores desmatadores do país.

Em Mato Grosso 60% dos registros de queimadas estão concentrados em propriedades particulares, outros 10% em Terras Indígenas, 13% em assentamentos, e os demais distribuídos nas áreas de conservação (estado e federação).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.