O Maracanã assistiu nesta quinta-feira à crônica de uma goleada anunciada. Mesmo com uma formação reserva, a Espanha passou por cima do Taiti por 10 a 0, em um dos confrontos mais desiguais que as competições da Fifa já registraram. Os campeões do mundo se deram ao luxo de desperdiçar algumas chances cara a cara, mas conseguiram a vitória mais larga da história da Copa das Confederações. Fernando Torres e David Villa deitaram e rolaram, com sete gols juntos.

Antes da partida desta quinta no novo Maracanã, a façanha da maior goleada do torneio da Fifa estava nas mãos do Brasil, com o placar de 8 a 2 sobre a Arábia Saudita na edição de 1999 da Copa das Confederações (com três gols de Ronaldinho Gaúcho).

No entanto, a maior goleada da história do Maracanã segue em poder do Flamengo, com seus 12 a 2 sobre o São Cristóvão em 1956.

Leia também:  União e Luve decidem o Estadual Sub-19

O Taiti trocou o goleiro titular depois da estreia contra a Nigéria, quando já havia sofrido seis gols. O veterano Xavier Samin foi para o banco, mas Mikael Roche não conseguiu fazer muito diante da artilharia pesada de Fernando Torres, David Villa e companhia. Mesmo assim, foi muito aplaudido nas defesas que praticou.

Nada menos do que 137 separam as duas seleções no ranking da Fifa, segundo a última atualização [a Espanha lidera a relação]. Apesar do apoio dedicado dos brasileiros, os taitianos mostraram por que estão tão atrás no universo do futebol.

Adotada pelas 70 mil vozes no Maracanã, a amadora seleção do Taiti levantou a arquibancada ao equilibrar a posse de bola nos primeiros minutos. Mas o primeiro gol espanhol saiu logo aos 4min, quando Fernando Torres disparou pela esquerda e tocou colocado entre o goleiro e a trave.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

Depois do primeiro gol, o Taiti conseguiu segurar o ímpeto dos reservas da Espanha, gastando o tempo de várias maneiras. Neste processo de catimba, o goleiro Roche sofreu um encontrão de Torres e permaneceu alguns minutos deitado no chão em atendimento médico.

Depois de titubear algumas vezes na frente do gol, a Espanha finalmente ampliou com David Silva, aos 30min, tocando cruzado na saída de Roche. Minutos depois Torres disparou sozinho, tirou o goleiro e empurrou para fazer o terceiro. David Villa perdeu uma chance incrível, mas na jogada seguinte teve nova oportunidade e também deixou o seu na rede do Maracanã.

A facilidade era tamanha que a Espanha voltou ao segundo tempo com o meia Jesus Navas na vaga do zagueiro Sergio Ramos. Logo de cara Villa aproveitou um cruzamento de Monreal e fez o quinto gol. Torres completou um cruzamento da direita e fez mais um.

Leia também:  União vai enfrentar o Dom Bosco na Arena pelo Sub-19

Em posição duvidosa, Villa arrancou sozinho e contou com uma saída em falso do goleiro para fazer mais um. Depois foi a vez de Mata surgir livre atrás da linha de zaga e marcar o seu. Torres levantou a galera ao desperdiçar um pênalti, mas se recuperou na sequência, anotando o seu quarto da tarde. Nos minutos finais Silva enfim alcançou o segundo dígito no placar.

Após duas vitórias seguidas no Brasil, a Espanha volta a campo no domingo, quando enfrenta a Nigéria em Fortaleza com a missão de ratificar o primeiro lugar do grupo B.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.