Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, caminha pelas ruas de Jerusalém às 4h da manhã de domingo (30) após reunião de 6h com Netanyahu. (Foto: Jacquelyn Martin, Pool/AP)
Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, caminha pelas ruas de Jerusalém às 4h da manhã de domingo (30) após reunião de 6h com Netanyahu. (Foto: Jacquelyn Martin, Pool/AP)

O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, deve embarcar neste domingo (30) para a Cisjordânia para se reunir novamente com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, informou a agência Associated Press.

Nos últimos dias, Kerry esteve envolvido em reuniões a portas fechadas com autoridades israelenses e palestinas em uma tentativa de restabelecer os diálogos de paz na região.

Segundo a France Presse, no sábado ele fez de helicóptero o trajeto entre Jerusalém e Amã, onde se reuniu por duas horas com Abbas. Em seguida, retornou a Jerusalém para conversar com o premier de Israel, Benjamin Netanyahu, que o recebeu à noite em um hotel da cidade, na companhia da ministra da Justiça, Tzipi Livni (responsável pelas negociações com os palestinos), do conselheiro de Segurança Nacional, Yaakov Amidror, e do enviado especial para o processo de paz, o advogado Yitzhak Molcho. Agora, volta a procurar Abbas.

Leia também:  Teste nuclear pode ter sido o causador de desmoronamento que matou 200 pessoas na Coreia do Norte

As autoridades israelenses e palestinas se recusaram a revelar detalhes das reuniões, mas a viagem de Kerry para ver Abbas novamente antes de ele deixar a região é uma indicação de que o secretário acredita que há uma chance de unir os dois lados, informou a AP.

Diplomacia
Em geral, há um profundo ceticismo de que Kerry possa chegar a um acordo entre os estados palestino e israelense – algo que iludiu presidentes e diplomatas durante anos, informou a AP. Mas a enxurrada de reuniões tem aumentado a expectativa de que os dois lados podem ser persuadidos a, pelo menos, retomar as negociações, interrompidas desde 2008.

Até agora, não houve sinais públicos de que os dois lados estão estreitando suas diferenças.

Leia também:  Militares brasileiros são alvos de ataques em 3 dias seguidos no Taiti

No sábado, quando Kerry foi indagado por um jornalista se as conversas estavam progredindo, o secretário respondeu apenas que está “trabalhando duro”.

Esforços
Altos funcionários americanos fizeram poucos comentários sobre as conversas, realizadas a portas fechadas, e descartaram avanços importantes nesta oportunidade, procurando progressos graduais, que permitam negociações de peso entre palestinos e israelenses.

Desde a última quinta-feira, Kerry se reuniu por um total de sete horas com Netanyahu, que quer negociações imediatas, “sem condições prévias”.

Para retomar as negociações, Abbas exige o congelamento total da colonização, e uma referência às linhas anteriores à ocupação israelense dos Territórios Palestinos, em junho de 1967, como base para as discussões.

Leia também:  Diante a crise lotes de coelhos são entregues para consumo alimentar na Venezuela

Nesta maratona, que o levou a Índia, Kuwait, Qatar e Arábia Saudita, Kerry viajará também a Brunei, para participar da reunião de nações asiáticas que começa na próxima segunda-feira, informou a porta-voz do Departamento de Estado Marie Harf.

“O secretário aprecia nossa associação com os Emirados Árabes, telefonou ao colega Abdullah bin Zayed para se desculpar, e espera realizar uma visita ao emirado no futuro”, acrescentou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.