Principal aposta do Flamengo para se recuperar na temporada de 2013, Mano Menezes foi apresentado pela diretoria rubro-negra na manhã desta segunda-feira. Na sede da Gávea, o técnico admitiu que a saída precoce da seleção brasileira – no final do ano passado – foi um trauma em sua carreira. O treinador, porém, diz que já se recuperou da demissão e vê a chegada ao clube como algo ‘especial’ para o prosseguimento de sua trajetória profissional.

“Nos primeiros dias [após a demissão] doeu um pouco, mas tudo na vida passa. E como sou dotado de razoável inteligência, aprendi que as coisas boas fazemos durar mais tempo, e as ruins, menos. Já passou, cicatrizou. E o que vem acontecendo após a saída me deixa contente”, disse Mano Menezes. O treinador ressalta que o Flamengo é uma chance de dar resposta aos que o demitiram.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

“É importante, no momento seguinte, que o trabalho seja bom. E mostrar a capacidade que temos para fazer um grande trabalho. É uma oportunidade especial”, completou o treinador.

O Flamengo é o primeiro clube que Mano Menezes assume desde sua saída da seleção brasileira, em novembro de 2012. O treinador não obteve sucesso no comando da equipe principal da CBF e foi substituído por Felipão, que hoje dirige o Brasil na Copa das Confederações.

O treinador acertou com o Flamengo na noite da última quinta-feira. Junto de Mano Menezes, chegarão à Gávea o auxiliar Sidnei Lobo e o preparador físico Eduardo Silva. A estreia da nova comissão técnica deve acontecer no dia 29 de junho,  em possível amistoso contra o São Paulo. Oficialmente, o primeiro jogo será em 6 de julho,  data em que o Rubro-negro enfrenta o Coritiba, pela sexta rodada do Brasileiro.

Leia também:  Federação e clubes definem detalhes da Copa FMF

Mano Menezes substitui Jorginho no comando do Flamengo. O antecessor caiu após a derrota por 1 a 0 para o Náutico, no dia 5 de junho. A dificuldade por definir uma equipe titular e os resultados abaixo do esperado dentro de campo motivaram a queda do ex-auxiliar de Dunga na seleção brasileira. Em 14 jogos, o ex-comandante conseguiu sete vitórias, quatro empates e três derrotas. Além da dupla, Dorival Junior também dirigiu o time em 2013.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.