Foto: assessoria
Foto: assessoria

A Câmara Municipal de Vereadores vai realizar uma audiência publica no dia 5 de agosto para discutir a situação do microdistrito industrial da Vila Operária, que está irregular, impedindo da realização de qualquer tipo de investimento. A audiência foi requerida pela Comissão de Indústria, Comércio, Turismo e Agricultura da Câmara Municipal.

Segundo o vereador Cido Silva (PP) presidente da comissão, o microdistrito industrial de Vila Operária, localizado no começo da MT-130, foi lançado na gestão passada como um fomentador do desenvolvimento da região da cidade. “Muitos empresários compraram seus lotes, mas o local ainda está em situação irregular, impedindo da realização de qualquer tipo de investimento público no local. Enquanto isso, muitas empresas como marcenarias e serralherias que estão localizadas na área urbana estão sendo notificadas para irem para o microdistrito, porém é impossível sem a infraestrutura mínima para o local”, disse o vereador.

Leia também:  Força Tática de Rondonópolis recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal

O microdistrito industrial de Vila Operária foi lançado para abrigar empresas como serralheria, marcenaria, locações diversas, fábrica de gelo, confecções, pequenas distribuidoras, indústria de telhas, entre outras de pequeno e médio porte.

De acordo com o vice-presidente da comissão, o vereador Cláudio da Farmácia (PMDB), os empresários que adquiriram uma área não podem iniciar as atividades por falta da infraestrutura básica como fornecimento de energia elétrica e abastecimento de água, além de redes de esgoto. A administração anterior havia anunciado que o microdistrito industrial é composto por 147 lotes. Mais de 100 lotes foram vendidos pela gestão passada”, disse o vereador peemedebista.

Conforme os vereadores serão convidados para as discussões durante a audiência pública a sociedade organizada como Acir, CDL, empresários locais, classe politica, poder executivo municipal, representantes da Rede Cemat e Sanear, dentre outros. “A ideia desta audiência pública é que ao final os empresários tenham do poder público uma resposta sobre quando o microdistrito terá fornecimento de água e energia elétrica, além das demais estruturas para que estas empresas possam funcionar”, disse o vereador Cláudio da Farmácia.

Leia também:  OAB/MT quer auditar sistema de escutas no Estado

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.