A Embrapa Solos, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), sediada no Rio de Janeiro, comemora os 40 anos da organização com um projeto que pretende auxiliar o produtor brasileiro na escolha da melhor cultura a plantar, por meio da análise do solo.

O Laboratório Móvel de Análise de Solos, batizado de Fertimóvel, é uma das prioridades deste ano da Embrapa Solos. O chefe de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Daniel Perez, disse  que o Fertimóvel viabilizará a divulgação e dará acesso facilitado à análise de solo no Rio de Janeiro. O projeto pode ser expandido para outros estados.

Apesar de o Rio de Janeiro ter sido um dos pioneiros no país na difusão da análise de solos, atualmente não há laboratório que preste assistência ao produtor, disse Perez. A ideia de criação do laboratório móvel surgiu no ano passado, devido à forte demanda de pedidos de análise dos produtores. “Só que ela [análise] não pode ser realizada pela Embrapa. A gente é mais voltado para a questão de pesquisas”. Hoje, só dois laboratórios prestam este serviço e estão localizados em Campos dos Goytacazes, na região norte fluminense.

Leia também:  Quantidade de armazenamento de cordão umbilical está abaixo da média no Brasil

Por isso, a Embrapa Solos está incentivando a criação de novos laboratórios, tanto pela área pública, como privada, mas não tem conseguido sensibilizar nenhum grupo, explicou o pesquisador. Para minimizar o problema nas regiões produtoras, principalmente a região serrana, que foi fortemente atingida pelas enchentes de 2011, a empresa decidiu criar o Fertimóvel.

No momento, a Embrapa Solos está efetuando processo licitatório, visando a aquisição e adaptação dos equipamentos ao veículo comprado com verba de emenda parlamentar do ano passado. Tão logo o processo de licitação seja concluído, o furgão será montado. “A expectativa é que no segundo semestre ele comece a trabalhar”, manifestou.

A Secretaria Estadual de Agricultura, por meio da Empresa de Extensão Rural (Emater) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro), levantará os principais pontos de demanda de análise. A Embrapa Solos traçará rotas específicas e o Fertimóvel fará a coleta do material. “Uma parte, ele vai processar”. Como se trata de um projeto experimental, Daniel Perez esclareceu que, dependendo do volume de análises, poderá ser instalada uma base fixa do laboratório em um município fluminense, como suporte ao Fertimóvel.

Leia também:  Motorista passa mal, invade calçada e mata idosa de 92 anos em MS

Para o produtor, a iniciativa tem grande importância, porque permitirá que ele saiba que tipo de cultura o seu solo está apto a produzir. “Se você não sabe as limitações do seu solo, como pensa em cuidar dele e melhorá-lo?”, questionou o pesquisador. A análise dirá se os elementos tóxicos ou os nutrientes do solo estão em bom nível e, se não estiverem, qual o procedimento deve ser adotado pelo produtor.

O pesquisador chamou a atenção que, para isso, terão de ser avaliados também os fatores climáticos, para saber se a cultura desejada é indicada para aquela região. Em função da cultura que vai ser implantada e do resultado da análise, o agricultor vai se inteirar do que é necessário para corrigir o solo a fim de atender às necessidades da planta.

Leia também:  Empresário é procurado pela polícia por usar nomes de clientes par financiar carros

Na próxima segunda-feira (3), em solenidade promovida pela Comissão de Agricultura, Pecuária e Políticas Rural, Agrária e Pesqueira, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro vai homenagear a Embrapa pelos seus 40 anos de criação, completados em abril deste ano.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.