O vereador Thiago Muniz (Sem partido) tem se atrapalhado na hora de tentar ajudar a atual administração. Na sessão da semana passada havia um projeto do executivo em regime de urgência / urgentíssima para a locação de um imóvel como intuito de abrigar a Secretaria de Assistência Social.

Os vereadores estavam reclamando que não havia dado tempo de analisar o projeto, em especial o líder do prefeito, Aristóteles Cadidé (PDT), porque havia chegado de última hora, foi quando o vereador Thiago Muniz subiu à Tribuna e discursou em defesa do chefe do executivo, afirmando que os colegas tinham que votar favorável. Entre os argumentos de convencimento Thiago disse que  a prefeitura já teria o dinheiro separado para inclusive construir novos prédios públicos, coisa que as administrações anteriores não fizeram. A afirmação de Thiago acabou gerando conflito com alguns parlamentares, entre eles o vereador Fulô (PMDB), que argumentou que se havia dinheiro para construir, então, não seria necessário ficar alugando prédios.

Leia também:  Site de Diogo Mainardi diz que Sachetti pode disputar governo

O contra ponto de Fulô não agradou Muniz, que partiu para o ataque pessoal dizendo que Fulô estava ultrapassado e perdendo voto,s por tanto, não tinha credibilidade para debater o assunto. Com o ataque a Fulô, cinco vereadores resolveram votar contra e por pouco o destempero de Thiago Muniz não resultou em uma derrota para o Paço Municipal.

Outro exemplo que mostra com clareza as atrapalhadas de Thiago ocorreu ontem (5), também na sessão da Câmara, quando os servidores estavam no plenário para pedir apoio do legislativo na negociação com o prefeito Percival Muniz (Sem partido). Thiago querendo mais uma vez puxar a ‘sardinha’ para o executivo usou o seu espaço na Tribuna para atacar os servidores e o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sispmur), Rubens Paulo.

Leia também:  Secretário do prefeito de Pedra Preta é condenado pelo TCE

Atitude dele mudou a decisão do servidores que era de não aprovar o indicativo de greve. Os servidores então numa posição de retaliação ao discurso de Thiago Muniz voltaram atrás e aprovaram o indicativo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.