O presidente reeleito dos EUA, Barack Obama, discursa nesta quarta-feira (7) em Chicago (Foto: AP)
O presidente reeleito dos EUA, Barack Obama, discursa nesta quarta-feira (7) em Chicago (Foto: AP)

O presidente dos EUA, Barack Obama, que está no Senegal, celebrou nesta quinta-feira (27) a decisão da Suprema Corte americana favorável ao casamento gay, e pediu que os países africanos busquem leis que não criem discriminação com base na orientação sexual.

“Minha opinião é que, independente da raça, da religião, do gênero e da orientação sexual, no que diz respeito à lei todos deveriam ser tratados como iguais”, declarou Obama.

Na África, ser homossexual é considerado ilegal em vários países.

Obama disse que a decisão da Suprema Corte foi uma “vitória” para a democracia americana.

A Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou na véspera a uma controversa lei federal que definia o casamento como a união entre um homem e uma mulher, garantindo assim benefícios federais para o casal e abrindo caminho para a união gay na Califórnia, uma grande vitória para os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Leia também:  Terremoto atinge o México pela terceira vez em uma semana

MANDELA
O democrata também saudou o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, hospitalizado em estado crítico em Pretória, a quem classificou de “um herói para o mundo”.

“Se ele morrer, seu legado vai continuar através dos tempos”, disse.

Obama afirmou que seus pensamentos e orações estão com a família de Mandela e confirmou que pretende visitar a África do Sul, conforme programado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.