Os dados dos postos saem da lista por terem conseguido comprovar regularidade ou por pagar multas - Foto: Reprodução/ Internet
Os dados dos postos saem da lista por terem conseguido comprovar regularidade ou por pagar multas – Foto: Reprodução/ Internet

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou boletim de monitoramento de qualidade no qual aponta redução de 81% nos número de autos de infração referentes a não conformidades aplicados a postos de combustíveis de Mato Grosso. Periodicamente, o órgão publica uma lista com nomes de empresas autuadas ou interditadas por comercializarem combustíveis fora das especificações técnicas.

No boletim anterior, divulgado em fevereiro, constavam 43 autos de infração contra 39 revendedores de 11 municípios. No relatório recente foram autuados apenas oito estabelecimentos de cinco municípios. No levantamento anterior, cinco postos tiveram as bombas de abastecimento interditadas. No documento atual, apenas em um foi aplicada esta medida.

Leia também:  MEIs poderão emitir nota fiscal eletrônica a partir de setembro

Os dados dos postos saem da lista por terem conseguido comprovar regularidade ou por pagar multas. A presença do nome das empresas nesta lista não significa que houve condenação administrativa definitiva pela prática da infração e nem mesmo que a não conformidade significa prática de adulteração.

Para o Sindipetróleo, a diferença entre não conformidade e adulteração precisa ficar bem clara perante o consumidor. “Apenas um cisco no etanol, que muitas vezes não pode ser visto a olho nu, pode significar uma pequena contaminação ocorrida durante o transporte de combustíveis, por exemplo. Não podemos chamar isto de adulteração. Os revendedores também demonstram imensa preocupação com o teor de biodiesel no diesel, no qual não é possível medir a mistura no posto”, o presidente do Sindipetróleo, Aldo Locatelli, avalia que a redução se deve a maior atuação da ANP, ao consumidor que está cada vez mais atento à qualidade dos produtos e também atenção do revendedor.

Leia também:  Mais de 12 mil motoristas ficaram parados na BR-163 por falta de combustível
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.