Cartilhas PJC -  Foto: Assessoria
Cartilhas PJC – Foto: Assessoria

 

Duas revistas desenvolvidas dentro da campanha do projeto de Bem Com a Vida, executado pela Polícia Judiciária Civil (PJC) de Mato Grosso, vão ajudar nas ações de prevenção ao uso de álcool na adolescência e no esclarecimento de pais, educadores, crianças e adolescentes sobre seus direitos e a violência infanto-juvenil, principalmente o abuso sexual.

Com o título “Curta a vida sem nenhuma dose de arrependimento”, a revista “Sem Álcool” é direcionada aos jovens que ainda não iniciaram no consumo de bebidas alcoólicas e a aqueles que já começaram a beber. O livreto traz informações importantes sobre o teor alcoólico das principais bebidas, incluindo as destiladas, e seus efeitos no corpo humano.

O conteúdo da cartilha foi autorizado à utilização, com adaptações á campanha, pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça. A cartilha com tiragem de 15 mil exemplares está sendo distribuídas em escolas, comunidades e é um dos materiais gráfico de apoio às atividades de prevenção e fiscalização ao consumo de bebida alcoólica a crianças e adolescentes, desenvolvidas no Estado de Mato Grosso, pela Polícia Judiciária Civil, sob a coordenação da Coordenadoria de Polícia Comunitária.

Leia também:  Motorista atravessa sinalização durante perseguição policial e joga arma em cima de residência

De acordo com o gerente do projeto De Bem Com a Vida, Ademar Torres, a cartilha está sendo entregues nas escolas que recebem as palestras do projeto. “São entregues a direção das escolas para façam parte do acervo da biblioteca e servir de apoio pedagógico para trabalhar a temática álcool e droga”, disse. “Alguns professores têm trabalhado com os alunos elementos da cartilha e a partir deles desenvolvido produtos de ‘educomunicação’, que são produções de cartoons, textos e teatral”, completou.

A revista sobre a violência praticada contra criança e adolescentes traz uma série de informações dos principais tipos de crimes, com foco especial no abuso sexual e suas subdivisões quanto à prática no seio familiar, fora do âmbito familiar e a exploração sexual para fins comerciais; além de abordar a pedofilia, os principais sintomas das crianças e adolescentes que sofreram abuso ou exploração sexual, cuidados; e alguns mitos e verdades, entre outros.

Leia também:  Grupo é preso por receptação de rodas esportivas em MT

A delegada Luciani Barros, titular da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos daCriança e do Adolescente (Deddica), disse que a cartilha é destinada a auxiliar às famílias e as vítimas a identificarem situações de violência, além de ajudar a vítima reconhecer o agressor e buscar auxílio com o atendimento adequado e rápido. “Queremos incentivar denúncias e romper a dinâmica do silêncio, com isso responsabilizar o agressor nas investigações”, destacou.

Conforme a delegada, o material será distribuído aos conselhos tutelares e, principalmente, as famílias que procuraram ajuda na Delegacia. Barros disse ainda que as cartilhas serão também levadas às escolas inseridas no programa De Cara Limpa Contra as Drogas, das quais a Delegacia participará com palestras de prevenção e orientação à violência sexual de crianças e adolescentes.

Leia também:  Detento se solta de algemas, quebra teto de viatura em movimento e foge

A revista sobre a violência infantojuvenil tem tiragem inicial de 10 mil exemplares e foi desenvolvida a parti de conteúdo selecionado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

As cartilhas estão disponíveis para download no site da Polícia Judiciária Civil (www.policiacivil.mt.gov.br) nos links Campanhas e em Dicas de Segurança.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.