Cavalgada realizada no ano passado - Foto: assessoria
Cavalgada realizada no ano passado – Foto: assessoria

A Equipe Organizadora da Cavalgada da Exposul, liderada pelo empresário Ari Torremocha Fim, decidiu em reunião nesta segunda-feira (15), o formato definitivo da 27ª edição do tradicional evento que abre a exposição de Rondonópolis. Estão sendo aguardados mais de 1.7 mil cavaleiros, amazonas, comitivas de Rondonópolis e região sul de Mato Grosso, além de carros de boi e trollers de quatro rodas.

De acordo com Torremocha o trajeto, por sugestão do TAC-Termo de Ajustamento de Conduta, firmado com o Ministério Público, terá uma redução de 1,9 km em relação ao ano passado. A concentração, que acontecerá das 06 às 07 h da manhã de 10 de agosto (sábado), terá lugar na Avenida Fernando Correia, altura da concessionária Ford.

Da concentração a cavalgada segue pela rua Fernando Correa da Costa para o centro da cidade, dobrando a esquerda na Praça Brasil, e seguindo até a Praça dos Carreiros, onde toma a Rua Rio Branco em direção aos altos da Vila Aurora. Neste ponto dobra a direita na Rua Paulo VI e entra a esquerda na rua Otávio Pitaluga, em direção a Lions Internacional, e desta, seguindo até a rotatória do Shopping, onde toma a Governador Júlio Campos até o encerramento, no CTG Saudades da Querência.

Leia também:  "Caçambeiros" ganham prazo para adaptação

Ari Torremocha informou ainda que as inscrições, que terão um valor simbólico de R$ 5,00 poderão ser feitas nas casas comerciais do ramo de artigos para pecuária, como lojas country, selarias, lojas de sapatos e botas e no Sindicato Rural e, darão direito à participação no churrasco de confraternização, previsto para o final do desfile e aos prêmios que serão oferecidos aos cavaleiros e amazonas mais bem trajados; equipes mais bem uniformizadas e mais distantes; cavaleiros e amazonas mais jovens e, mais idosos e; carro de boi e trollers mais antigos e bem conservados.

De acordo com a Equipe Organizadora da Cavalgada, este ano, a arrecadação das inscrições para o desfile deverá ser revertida, integralmente, para a Casa Esperança, em suas duas unidades, em frente ao Cisc, no Centro e, no antigo Uniprom (Unidade de Proteção ao Menor), do Lions, na MT 270, que atende dezenas de abrigados.

Leia também:  Ex-detento morre ao levar 4 tiros no Padre Lothar

Segundo Ari Torremocha, a cavalgada da Exposul foi criada pelo Sindicato Rural há mais de duas décadas para resgatar a história da fundação do então Arraial do Rio Vermelho, ocorrido no início do século passado. De lá à Rondonópolis dos nossos dias foi um processo de desenvolvimento envolvendo, não só os nativos, mas muitos brasileiros de todos os lugares.

“A cultura de um povo se faz com o resgate histórico das suas origens. Era um vilarejo perdido nos sertões do Brasil, na confluência dos Rios Vermelho e Arareau, que se transformou na cidade em que vivemos. No início não havia estradas, energia elétrica, telégrafo e outras comodidades. Mercadorias como querosene para os lampiões, remédios, roupas e calçados e, notícias do sul/sudeste, chegavam no lombo dos animais, nas grandes comitivas que varavam os sertões e, nas chalanas que cruzavam os rios e a bacia pantaneira. Estes pioneiros e pioneiras não podem ser esquecidos. A Cavalgada da Exposul é uma homenagem anual que o Sindicato e, o povo de Rondonópolis, prestam a estes heróis do início da cidade”, finalizou Torremocha.

Leia também:  Deputado Rezende garante convênio em prol do Oratório Filhos de Dom Bosco
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.