Eleitores de Juara e Glória D’Oeste, a 690 e 304 quilômetros de Cuiabá, voltam às urnas neste domingo (7) para escolher os novos prefeitos. As eleições suplementares serão realizadas porque os candidatos eleitos em outubro do ano passado tiveram o registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral porque infringiram a Lei Ficha Limpa, que proíbe condenados em segunda instância de ocupar cargos eletivos.

Juara fica na região norte do estado a quase 700 quilômetros da capital e tem 23.389 eleitores. Nestas eleições, seis candidatos vão disputar o cargo de prefeito. Já em Glória D’Oeste, a 300 km de Cuiabá, 2.474 eleitortes vão às urnas para escolher entre três candidatos quem vai governar o município.

Leia também:  Pátio confirma Argemiro na Gestão de Pessoas

O prefeito eleito de Glória D´Oeste, Nilton Borgato (PP), chegou a ter o registro de candidatura indeferido nas últimas eleições municipais. No mês de janeiro, porém, ele foi diplomado por meio de uma decisão judicial que o assegurava no cargo até o julgamento dos recursos protocolados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Borgato ainda foi preso no mesmo mês por suspeita de crime ambiental após a constatação de que ele utilizava maquinário da prefeitura para a construção de tanques para criação de peixes e para abertura de uma estrada. No entanto, na época ele negou que a propriedade rural em que as obras foram realizadas era dele e que, “estava fazendo uma intervenção de caráter público”, no local.

Leia também:  Polícia esclarece latrocínio de dentista com identificação de 3 envolvidos entre eles um menor

Já o prefeito eleito em Juara, Oscar Martins Bezerra (PSB), não chegou a ser diplomado para o cargo pois teve o registro de candidatura indeferido devido a supostos atos ilícitos praticados em 2008, os quais o enquadraram na Lei da Ficha Limpa. O registro foi negado em todas as instâncias da Justiça Eleitoral.

Para a realização das duas eleições suplementares, a Justiça Eleitoral vai gastar R$ 100 mil. O maior investimento será em Juara por causa da extensão do território e do número de eleitores. Cerca de 500 pessoas vão trabalhar no pleito dos dois municípios. O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Juvenal Pereira, disse que a maior preocupação é garantir a ordem para que os eleitores possam escolher o novo prefeito com tranquilidade.

Leia também:  Assaltantes fazem buraco em parede e tentam furtar banco

Segundo o magistrado, qualquer tentativa de compra de voto será punida com rigor. O resultado as eleições deve ser divulgado ainda neste domingo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.