Alunos de Medicina que ingressarem em universidades públicas e privadas passarão a partir de 2015, a cumprir obrigatoriamente dois anos extras de grade curricular no Sistema Único de Saúde (SUS).

Os estudantes permanecerão vinculados à faculdade, receberão bolsas e terão custeados os gastos com o deslocamento para os diversos destinos do país.

Apenas após esses oito anos, o profissional terá o registro permanente de médico e poderá exercer a profissão abrindo consultório ou fazendo plantões.

Advertisements
Leia também:  PMDB ainda espera por Ibrahim

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.