O ‘fim dos marqueteiros nas campanhas’ foi o sugerido pelo PT e PMDB durante encontro para definir a reforma política no país. Os deputados Ricardo Berzoini (PT-SP) e Marcelo Castro (PMDB-PI) sugeriram limites para a atuação desses profissionais, acabando com propagandas eleitorais cinematográficas.

Segundo a proposta desses Partidos seria que os marqueteiros passem a ser consultores de imagens, sem moldar o candidato. Uma das justificativas é o alto custo dos serviços. “A pessoa tem que se expor sem adereço, sem edição, sem recurso gráfico, sem imagens externas, sem vira o filme do Coppola [cineasta norte-americano]”, disse o petista.

O PT chegou ao poder na campanha presidencial de 2002 amparado em uma estratégia de marketing comandada pelo publicitário Duda Mendonça, criador do “Lulinha paz e amor”.

Leia também:  Nem Natal Solidário escapou de propinas em Mato Grosso

Em 2006, foi João Santana quem comandou o marketing da campanha à reeleição de Lula. O marqueteiro também apadrinhou a vitoriosa campanha da presidente Dilma Rousseff em 2010. Além das eleições, João Santana é um dos poucos a quem Dilma consulta para elaborar discursos e ações de governo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.