O volante brasileiro Claudiney Rincon, que se naturalizou para defender a seleção de Guiné Equatorial, morreu na noite de domingo vítima de malária contraída no mês de junho em viagem ao continente africano.

Claudiney Ramos morreu no Conjunto Hospitalar de Sorocaba e defendia no Brasil o clube gaúcho Avenida e vinha defendendo a Guiné em jogos das eliminatórias africanas para a Copa do Mundo de 2014.

O meio-campista foi para África em junho defender a equipe nas partidas contra Cabo Verde e  Tunísia e retornou para o Brasil no último dia 19.

Sentiu dores de cabeça e náuseas em um jogo do Campeonato Gaúcho na semana passada, mas pouco tempo depois se recuperou.

Leia também:  Jogador Edilson "capetinha" é preso por falta de pagamento de pensão

Na última quarta-feira, retornou para Sorocaba, cidade no qual jogou por muitos anos no São Bento e tem residência. Passou mal e foi para o pronto socorro duas vezes, mas não chegou a informar que tinha estado no continente africano.

A suspeita da doença só veio à tona quando outro brasileiro que defende a seleção africana, o goleiro Danilo, teve detectada malária e está internado na cidade de Natal-RN.

O jogador então foi internado e medicado no último domingo, mas não teve tempo suficiente para a recuperação.

“Aí deduziram por ele ter passado nos mesmos lugares que ele e estar com os mesmos sintomas. Depois foi relato que ele estaria com malária, mas já era tarde quando descobriram. É uma malária maligna, que se alastra e difunde rapidamente”, falouFabiano Henrique Fernandes, supervisor de futebol do São Bernardo e padrinho de casamento de Claudiney, que acompanhou o jogador no hospital nos últimos dias.

Leia também:  Luverdense fica no empate com o Paraná

Claudiney Rincon não tinha filhos e era casado. Sua família é de Porecatu (PR) e já está a caminho de Sorocaba para o velório e enterro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.