Um retardamento injustificado por parte do PPS para formalizar a fusão entre o Partido da Mobilização Nacional (PMN) e o Partido Popular Socialista (PPS), criando o partido titulado como Mobilização Democrática (MD), fez com que o PMN desistisse da formação da nova sigla. O anúncio foi dado pela secretária nacional do PMN, Telma Ribeiro.

Telma Ribeiro ainda afirmou que irá convocar integrantes do partido para um congresso, no dia 28 de julho, com o objetivo de desfazer a fusão. “Outro ponto do descontentamento pelos integrantes do PMN é porque o PPS discutiu sozinho e apresentou à sociedade uma proposta de reforma política que não contou com a contribuição do PMN”, falou a secretária.

A união das duas legendas foi anunciada em abril deste ano, e não se concretizou devido ao atraso em resposta de consulta realizada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), se os líderes com mandato incorreriam em crime de infidelidade partidária, por se filiar a sigla, fruto de fusão. A legislação eleitoral prevê que o mandato pertence aos partidos, sendo que a única exceção é quando uma nova sigla é criada, o que permitiria aos líderes se filiarem com os mandatos.

Leia também:  Marildes pode ser alternativa para Estadual

Com o recuo da criação do novo partido, o prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (sem partido), deve permanecer no PPS.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.