A Gerência de Combate ao Crime Organizado, da Polícia Judiciária Civil, apreendeu mais três bananas de explosivos, equivalente a 1 quilo e 500 gramas, na tarde de sexta-feira (05.07), que seriam comercializadas para explosões de caixas eletrônicos.
Os artefatos de emulsão explosiva estavam em poder de uma jovem de 21 anos, que havia recebido o material do namorado preso na Penitenciária Central do Estado para revender a quadrilhas de ataques a terminais de autoatendimento.
A carga foi apreendida dentro de uma mochila entregue pela moça a Reginaldo Braz de Almeida, 27,que iria repassar a uma suposto receptador, que conseguiu escapar na ação policial. Reginaldo foi autuado por posse irregular de explosivos e tráfico de drogas. Com ele os policiais apreenderam também 11 cabecinhas de pasta-base de cocaína.
Toda a ação se desenrolou no bairro Lixeira, onde também mora a jovem Larissa Peris Brito, de 21 anos. A moça contou aos policiais que namora o presidiário Pedro Antônio dos Santos, que cumpre pena na Penitenciária Central do Estado, e recebeu em casa os explosivos para ser entregue a Reginaldo que iria levar até o comprador. Ambos alegaram que não sabiam o conteúdo da mochila.
A jovem foi autuada por posse de artefatos explosivos, com pena de 3 a 6 anos de detenção. Com ela foi apreendido dinheiro, dois celulares e duas máquinas de fotografias.
O delegado titular da Gerência de Combate ao Crime Organizado, Flávio Henrique Stringueta, disse que a unidade realiza constante monitoramento as quadrilhas que atuam em explosões de caixas eletrônicos, tanto na identificação de possíveis ataques quanto na apreensão de materiais explosivos que podem ser usados também em carros-fortes e para dar fuga a presos em presídios.
Outras apreensões
Esta é a segunda apreensão de cargas de emulsão explosivas ocorrida nesta semana, em Cuiabá. Na última terça-feira (02.07), quatro bananas de 250 gramas cada foram apreendidas no bairro Porto. Com material foram presos quatros homens, que também estavam vendendo o material para ações criminosas. De acordo informações levantadas pelos policiais do GCCO, a quadrilha estaria na  posse de 14 explosivos, sendo 10 reservados para explodir o muro da Penitenciaria Central do Estado, abrindo fuga para detentos.
No dia 25 de junho, policiais do GCCO apreenderam 104 bananas de dinamites, de 2 quilos cada, na cidade de Nobres (146 km a Médio-Norte). Os artefatos explosivos foram furtados de uma empresa de cimentos, no dia 17 de janeiro deste ano, em Nobres, por um funcionário preso junto com a maior apreensão de explosivos já ocorridos pela Polícia Civil.
Os explosivos, equivalente a 208 quilos aproximados, com capacidade de destruição de 520 caixas eletrônicos e mais de 500 muros de presídios, além de vários carros-fortes.
Advertisements
Leia também:  Operação Cerco Total inicia nesta segunda-feira (14)

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.