Adilton Sachetti - Foto: arquivo AGORA MT
Adilton Sachetti – Foto: arquivo AGORA MT

Na avaliação do ex-prefeito de Rondonópolis e ex-presidente da extinta Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo (Agecopa), Adilton Sachetti (PDT), mesmo que todas as obras não estejam prontas a Copa irá acontecer em Cuiabá.

“Estádio e aeroporto estando concluído terá Copa do Mundo na Capital, isso é fato, mas acredito que várias obras não ficarão prontas a tempo do evento mundial”, fala.

De acordo com Sachetti essa falta de planejamento foi um dos motivos que o fez deixar, a presidência da extinta Agecopa (agora Secopa). “Tinha que ter focado a Copa do Mundo com obras urgentes e necessárias como, por exemplo, o centro de treinamento, o Fan Park, estádio e o aeroporto, mas infelizmente na época começou a se fazer política e se esquecer do essencial”, ataca Sachetti.

Leia também:  Câmara rejeita projeto de novo cálculo do IPTU

Segundo o ex-prefeito, os diretores da Agecopa em vez de discutir as obras, eles faziam ‘muvuca política’, se reuniam em bairros para fazer politicagem. “Por isso o tempo que estive a frente da Agecopa foi um ano de enfrentamento da minha parte com outros diretores, muita pressão política. Eu era contra tudo isso, porque tínhamos que ter uma resposta para a sociedade e fazer o necessário”, desabafa.

Em relação ao Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), Sachetti, afirmou que é um bom projeto, mas que foi elaborado sem o devido estudo do impacto financeiro que isso trará para a sociedade. “Um VLT é muito bom, mas a que custo? Cidades da Espanha fizeram VLT e tantas outras obras caríssimas, mas que depois não se sustentaram. Um dia tudo isso terá que ser pago”, fala.

Leia também:  Vereadores recebem servidores do Estado para definirem detalhes sobre o evento

Sachetti exemplificou dizendo que atualmente a população tem cobrado a redução das passagens de ônibus e que o VLT também terá que ser cobrado para a utilização do serviço. “VLT vai ter passagem de graça? E se tiver quem será que vai pagar isso? Será nós através de mais impostos. Eu não concordava com esse tipo de coisa por isso deixei a Agecopa”, alega.

Para Sachetti, a Copa do Mundo vai ‘enriquecer’ muitas pessoas que usaram o evento como benefício próprio. “Apesar disso tem gente que também ganhou dinheiro trabalhando honestamente”, conta.

ELEFANTE BRANCO

O ex-prefeito disse que para que a Arena Pantanal não vire um ‘elefante branco’ após a Copa do Mundo dependerá de quem fará a sua gestão. “A Arena é um projeto moderno com muitas qualidades, mas dependerá de um trabalho para que ele possa ser utilizado pós Copa. Tem lugares que eles transformam em shopping ou centro de negócios. Para que ele não vire um ‘elefante branco’ dependerá se será bem aplicado pelas autoridades”, finaliza.

Leia também:  Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi “ótimo” para ganhar votos

 

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.