Em um dia inspirado de Rafaela Travalão, a seleção brasileira garantiu a medalha de bronze no futebol da Universíade de Kazan, na Rússia. Após sair atrás do placar no Rubin Stadium, a equipe canarinho derrotou a África do Sul, de virada, por 2 a 1, com dois gols de Rafaela, maior protagonista da reação verde-amarela no segundo tempo. Jermaine Seoposenwe anotou o gol das rivais. Com o pódio, o Brasil chegou a dez medalhas na competição, com quatro ouros (Rocheles Nunes e Ketleyn Quadros, no judô, Arthur Zanetti na ginástica artística, e Ronald Julião no atletismo), duas pratas (Rochele Nunes e Anderson Henriques, no atletismo) e quatro bronzes (equipe masculina de judô, Rafael Buzacarini e David Silva, também no judô, e, por fim, no futebol feminino).

Tupis vão às quartas no rugbi

O segundo dia de disputas de rúgbi de 7 frustrou as expectativas dos torcedores brasileiros no masculino no primeiro jogo, contudo, trouxe boas esperanças para as mulheres, que garantiram uma vaga nas quartas de final, com uma derrota e um empate. Nesta segunda-feira, a seleção brasileira feminina perdeu por 35 a 10 para o Reino Unido, potência da modalidade, de cabeça erguida. Após levarem três tries (maior pontuação do jogo, que vale cinco pontos), as Tupis – apelido dado ao Brasil no esporte – ainda esboçaram uma reação (21 a 5), que parou no início da segunda etapa com outro try britânico. Depois de escapar pela ponta, Thamara anotou um try não convertido (a conversão é um lance extra após o try, que vale dois pontos). Apesar do esforço, as europeias marcaram outro try e carimbaram a vitória. Na sequência, em um duelo acirrado contra as italianas, a equipe arrancou um empate por 12 a 12, encerrando a fase classificatória em quarto lugar no Grupo B. De olho nas semifinais, as brasileiras terão pela frente a Rússia, nesta terça-feira, às 3h (de Brasília).
Entre os homens, o Brasil tinha uma importante missão pela frente: vencer a partida para se garantir nas quartas de final do torneio e, assim, sonhar com uma medalha. A equipe canarinho, no entanto, acabou sucumbindo à pressão da Azzura, que mostrou um bom volume de jogo e não teve dificuldades para vencer os brasileiros por 22 a 12. Em seguida, os Tupis não tiveram dificuldades para superar a Ucrânia por 17 a 0. Felisberto Jefferson e Martin Schaeffer (2) anotaram os tries dos Tupis, que ainda converteram um lance extra. Com o triunfo, o time se manteve vivo na disputa pela Taça Bowl.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

Time masculino de vôlei fica em quinto

No vôlei, a seleção brasileira masculina precisou suar a camisa para frear a reação da Coreia, vencendo por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 25/22, 30/32 e 25/21. Com o resultado, o time ficou em sétimo lugar no torneio. A Rússia e a Polônia brigam pelo título nesta terça-feira, enquanto Ucrânia e Japão medem forças pela medalha de bronze.
Após a vitória por 3 a 1 sobre a Polônia, de virada, a seleção brasileira feminina conquistou a chance de lutar pelo bicampeonato no vôlei. Comandada pelo técnico Helio Griner, a equipe irá enfrentar as russas, donas da casa, na decisão, nesta segunda-feira, a partir das 13h. Na disputa pelo terceiro lugar, a Tailândia vai encarar a Polônia, uma das principais forças da modalidade.

Leia também:  Brasil e Costa Rica fazem amistosos em Campo Verde e Cuiabá

Brasil nas semis dos 50m peito feminino

Membro da seleção principal de natação, Ana Carla Carvalho se classificou para as semifinais dos 50m peito, que serão disputadas nesta terça-feira, com tempo de 32s34. Outro representante da delegação verde-amarela, Vinícius Waked disputa o desempate nas eliminatórias dos 50m livre ainda nesta segunda-feira. Flagrado com o diurético furosemida no Troféu Maria Lenk de 2011 e suspenso por um ano pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o nadador irá disputar o Mundial de Aquáticos em Barcelona, em julho.

Na última edição da Universíade, nas piscinas de Shenzhen, em 2011, o Brasil levou três medalhas para a coleção, com João Junior, prata nos 50m peito e bronze nos 100m peito, e ainda uma prata no revezamento 4x100m livre masculino.

Leia também:  Atleta da Seleção brasileira de Hóquei é assassinado com tiro na nuca em SP

Brasileiros ficam entre os 10 na canoagem

Depois de garantir a vaga na final do K1 500m com o melhor tempo (2m07s366), a canoísta Ana Vergutz não foi páreo para as adversárias, terminando a prova em sétimo lugar. Campeão do Sul-Americano de canoagem de velocidade, Celso Oliveira foi o quinto mais rápido na decisão do K1 500m, ao encerrar o percurso em 1m47s690. Na final do K2 500m, a dupla formada por Vergutz e Bruna Gama ficaram em oitavo, com 2m10s132. A parceria também marcou presença na final do K2 200m, fechando a sua participação na nona colocação ao cravar a marca de 42s934. Esperança de medalhas no masculino, os irmãos Givago e Gilvan Ribeiro (33s618) terminaram a prova de K2 200m em oitavo.

Medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007 e bronze em Guadalajara 2011 no K4 1000m, Roberto Maheler buscava um lugar no pódio no K1 200m. Com tempo de 35s989, o canoísta de Cascavel ficou em oitavo nas águas de Kazan.
Na final do K4 500, a equipe verde-amarela, formada pelos irmãos Gilvan e Givago, João Alves e Michel Ferreira terminou em sétimo lugar, com 1m28s849.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.