Em um dia inspirado de Rafaela Travalão, a seleção brasileira garantiu a medalha de bronze no futebol da Universíade de Kazan, na Rússia. Após sair atrás do placar no Rubin Stadium, a equipe canarinho derrotou a África do Sul, de virada, por 2 a 1, com dois gols de Rafaela, maior protagonista da reação verde-amarela no segundo tempo. Jermaine Seoposenwe anotou o gol das rivais. Com o pódio, o Brasil chegou a dez medalhas na competição, com quatro ouros (Rocheles Nunes e Ketleyn Quadros, no judô, Arthur Zanetti na ginástica artística, e Ronald Julião no atletismo), duas pratas (Rochele Nunes e Anderson Henriques, no atletismo) e quatro bronzes (equipe masculina de judô, Rafael Buzacarini e David Silva, também no judô, e, por fim, no futebol feminino).

Tupis vão às quartas no rugbi

O segundo dia de disputas de rúgbi de 7 frustrou as expectativas dos torcedores brasileiros no masculino no primeiro jogo, contudo, trouxe boas esperanças para as mulheres, que garantiram uma vaga nas quartas de final, com uma derrota e um empate. Nesta segunda-feira, a seleção brasileira feminina perdeu por 35 a 10 para o Reino Unido, potência da modalidade, de cabeça erguida. Após levarem três tries (maior pontuação do jogo, que vale cinco pontos), as Tupis – apelido dado ao Brasil no esporte – ainda esboçaram uma reação (21 a 5), que parou no início da segunda etapa com outro try britânico. Depois de escapar pela ponta, Thamara anotou um try não convertido (a conversão é um lance extra após o try, que vale dois pontos). Apesar do esforço, as europeias marcaram outro try e carimbaram a vitória. Na sequência, em um duelo acirrado contra as italianas, a equipe arrancou um empate por 12 a 12, encerrando a fase classificatória em quarto lugar no Grupo B. De olho nas semifinais, as brasileiras terão pela frente a Rússia, nesta terça-feira, às 3h (de Brasília).
Entre os homens, o Brasil tinha uma importante missão pela frente: vencer a partida para se garantir nas quartas de final do torneio e, assim, sonhar com uma medalha. A equipe canarinho, no entanto, acabou sucumbindo à pressão da Azzura, que mostrou um bom volume de jogo e não teve dificuldades para vencer os brasileiros por 22 a 12. Em seguida, os Tupis não tiveram dificuldades para superar a Ucrânia por 17 a 0. Felisberto Jefferson e Martin Schaeffer (2) anotaram os tries dos Tupis, que ainda converteram um lance extra. Com o triunfo, o time se manteve vivo na disputa pela Taça Bowl.

Leia também:  Diretoria do União decide manter 15 jogadores que disputaram a Série D

Time masculino de vôlei fica em quinto

No vôlei, a seleção brasileira masculina precisou suar a camisa para frear a reação da Coreia, vencendo por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 25/22, 30/32 e 25/21. Com o resultado, o time ficou em sétimo lugar no torneio. A Rússia e a Polônia brigam pelo título nesta terça-feira, enquanto Ucrânia e Japão medem forças pela medalha de bronze.
Após a vitória por 3 a 1 sobre a Polônia, de virada, a seleção brasileira feminina conquistou a chance de lutar pelo bicampeonato no vôlei. Comandada pelo técnico Helio Griner, a equipe irá enfrentar as russas, donas da casa, na decisão, nesta segunda-feira, a partir das 13h. Na disputa pelo terceiro lugar, a Tailândia vai encarar a Polônia, uma das principais forças da modalidade.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

Brasil nas semis dos 50m peito feminino

Membro da seleção principal de natação, Ana Carla Carvalho se classificou para as semifinais dos 50m peito, que serão disputadas nesta terça-feira, com tempo de 32s34. Outro representante da delegação verde-amarela, Vinícius Waked disputa o desempate nas eliminatórias dos 50m livre ainda nesta segunda-feira. Flagrado com o diurético furosemida no Troféu Maria Lenk de 2011 e suspenso por um ano pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o nadador irá disputar o Mundial de Aquáticos em Barcelona, em julho.

Na última edição da Universíade, nas piscinas de Shenzhen, em 2011, o Brasil levou três medalhas para a coleção, com João Junior, prata nos 50m peito e bronze nos 100m peito, e ainda uma prata no revezamento 4x100m livre masculino.

Leia também:  Brasileira leva ouro em natação e se torna a 1° campeã mundial do país

Brasileiros ficam entre os 10 na canoagem

Depois de garantir a vaga na final do K1 500m com o melhor tempo (2m07s366), a canoísta Ana Vergutz não foi páreo para as adversárias, terminando a prova em sétimo lugar. Campeão do Sul-Americano de canoagem de velocidade, Celso Oliveira foi o quinto mais rápido na decisão do K1 500m, ao encerrar o percurso em 1m47s690. Na final do K2 500m, a dupla formada por Vergutz e Bruna Gama ficaram em oitavo, com 2m10s132. A parceria também marcou presença na final do K2 200m, fechando a sua participação na nona colocação ao cravar a marca de 42s934. Esperança de medalhas no masculino, os irmãos Givago e Gilvan Ribeiro (33s618) terminaram a prova de K2 200m em oitavo.

Medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007 e bronze em Guadalajara 2011 no K4 1000m, Roberto Maheler buscava um lugar no pódio no K1 200m. Com tempo de 35s989, o canoísta de Cascavel ficou em oitavo nas águas de Kazan.
Na final do K4 500, a equipe verde-amarela, formada pelos irmãos Gilvan e Givago, João Alves e Michel Ferreira terminou em sétimo lugar, com 1m28s849.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.